Ministro de Tuvalu grava discurso para COP 26 de dentro do mar em protesto contra risco de ilha desaparecer

Ilha de 12 mil habitantes no meio do Pacífico está sendo engolida pelo oceano e pode desaparecer na próxima década.


Ministro de Tuvalu grava vídeo para COP26 de dentro do mar para alertar que ilha está desaparecendo. — Foto: Governo de Tuvalu/Redes sociais
Ministro de Tuvalu grava vídeo para COP26 de dentro do mar para alertar que ilha está desaparecendo. — Foto: Governo de Tuvalu/Redes sociais

Por Laís Modelli, no G1

Um ministro da ilha de Tuvalu, Simon Kofe, chamou atenção na quarta-feira (4) ao discursar em vídeo exibido na 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP26) de terno e gravata, mas dentro do mar e com água até o joelho.

Tuvalu é uma das ilhas localizadas no meio do Oceano Pacífico, a poucos metros acima do mar. Ela corre o risco de desaparecer nas próximas décadas devido ao aumento do nível do mar causado pelo aquecimento global.

O Ministério das Comunicações da ilha postou fotos dos bastidores do vídeo nas redes sociais e afirmou que o vídeo tem por objetivo justamente refletir “as situações da realidade enfrentada em Tuvalu devido os impactos das mudanças climáticas e do aumento do nível do mar”.

Com receio de levar o coronavírus para a região, apenas três dos 14 líderes do Pacífico – de Palau, Fiji e Tuvalu – viajaram para as negociações climáticas da COP26 para pressionar por cortes profundos nos gases de efeito estufa por grandes emissores liderados pela China e os Estados Unidos.

Ministro de Tuvalu faz apelo de dentro do mar durante discurso na COP26 — Foto: Governo de Tuvalu/Redes sociais
Ministro de Tuvalu faz apelo de dentro do mar durante discurso na COP26 — Foto: Governo de Tuvalu/Redes sociais

Futuro incerto

Em setembro, o Banco Mundial alertou que 216 milhões de pessoas em seis regiões do mundo – incluindo cerca de 50 milhões de pessoas do Leste Asiático e do Pacífico – poderão ser forçadas a se mudarem de seus países até 2050 para fugirem de eventos climáticos adversos.

Nas ilhas do Pacífico, porém, a situação é muito mais urgente: a expectativa é que essas ilhas sejam engolidas pelo oceano Pacífico em 10 ou 15 anos.

Tuvalu – território de apenas 12 mil habitantes – e as ilhas do Pacífico são é um dos lugares mais vulneráveis ​​ao aumento da temperatura do planeta. É também um dos mais isolados: o estado insular foi um dos raros países a não registrar casos de Covid-19, segundo a Reuters.

“As ilhas do Pacífico estão desaparecendo – estamos literalmente afundando”, disse Seve Paeniu, ministro das finanças de Tuvalu à Reuters durante a COP26. Fazia dois anos que ele não deixava a ilha.

Ministro de Tuvalu grava vídeo de dentro do mar para ser exibido na COP26. — Foto: Governo de Tuvalu/redes sociais
Ministro de Tuvalu grava vídeo de dentro do mar para ser exibido na COP26. — Foto: Governo de Tuvalu/redes sociais

A ilha de Fiji, vizinha de Tuvalu, já tenta realocar a75 comunidades para o interior do território para escapar da elevação do mar.

Embora as ilhas do Pacífico estejam entre os menores emissores de gases de efeito estufa, elas sofrem desproporcionalmente as consequências das mudanças climáticas.

Migração por causa das mudanças climática no mundo, segundo Banco Mundial — Foto: Arte/G1
Migração por causa das mudanças climática no mundo, segundo Banco Mundial — Foto: Arte/G1

A descoloração severa de corais da região, por exemplo, resultante do aquecimento global nos oceanos, dificulta a reprodução dos recifes do Pacífico Sul, o que piora ainda mais os perigos do aumento do nível do mar.

Muitas ilhas do Pacífico já enfrentam inundações pelas marés altas e pela água salgada que é espalhada sobre as plantações por tempestades provocadas por ciclones.

Fonte: https://g1.globo.com/meio-ambiente/cop-26/noticia/2021/11/06/ministro-de-tuvalu-grava-discurso-para-cop-26-de-dentro-do-mar-em-protesto-contra-risco-de-ilha-desaparecer.ghtml