Saúde da Mulher Menopausa e risco de osteoporose

A menopausa é caracterizada pela ausência de menstruação por um período de 12 meses consecutivos. Geralmente ocorre entre os 45 e os 55 anos, e as conseqüências a longo prazo, da deficiência do hormônio estrógeno propiciam sintomas desagradáveis como: ondas de calor, suores noturnos, insônia, menor desejo sexual, irritabilidade, depressão, ressecamento vaginal, diminuição da atenção e memória e algumas doenças dentre elas uma bastante comum é a osteoporose.

A osteoporose, segundo a OMS é considerada como o segundo maior problema de saúde no mundo, perdendo apenas para as doenças cardiovasculares. É uma doença esquelética, caracterizada pela diminuição da massa óssea e deterioração dos ossos, com conseqüente aumento da fragilidade do osso e suscetibilidade à fratura. Essas fraturas comprometem muito a qualidade de vida, por exemplo, a fatura de quadril que é uma das mais comuns possui um período de recuperação longo e fará com que sejam necessários cuidados especiais para realização de atividades cotidianas após a saída do hospital.

A osteoporose é muito comum entre mulheres na pós-menopausa devido à diminuição dos níveis de estrógeno, hormônio que tem ação protetora sobre o osso. Além da deficiência hormonal, outros fatores também influenciam na redução e perda de massa óssea, como a baixa ingestão de cálcio, vitamina D, zinco e magnésio, além da baixa exposição solar. O que consumir para aliviar os sintomas da menopausa e prevenir osteoporose:

Soja e derivados: contém isoflavonas que têm estrutura química bastante semelhante à do estrógeno (hormônio), se ligam aos seus receptores, evitando o surgimento dos sintomas indesejáveis da menopausa. É fonte de cálcio auxiliando na prevenção e tratamento da osteoporose.

Semente de gergelim: excelente fonte de cálcio, evita que os ossos fiquem mais frágeis e, conseqüentemente, mais suscetíveis a fraturas. Linhaça: rica em lignana, que é um fitoquímico que por apresentar uma estrutura química similar ao estrógeno, pode ajudar a prevenir os sintomas da menopausa. Chá de folha de amora: Auxilia no alívio dos sintomas da menopausa, principalmente os fogachos (calorões).

Aveia, arroz integral e semente de abóbora: fontes de magnésio, mineral necessário à formação óssea, a deficiência deste nutriente é encontrada com freqüência em indivíduos com osteoporose. A deficiência de magnésio está relacionada à formação óssea inadequada, colaborando com a perda da massa óssea.

Cápsula de óleo de fígado de bacalhau: fonte de vitamina D que está relacionada à maior absorção de cálcio e fósforo, minerais importantes para a formação óssea. Cápsula de óleo de borragem: fonte de ácido gama linolênico (GLA) auxilia na produção de substâncias de efeito antiinflamatório e também é necessário na formação de substâncias que regulam os hormônios femininos, por isso atenua os sintomas da menopausa.

Grão de bico e leguminosas (ervilha, lentilha, feijões) e oleaginosas: fontes de zinco que promove aumento da atividade da vitamina D e é essencial para a formação óssea. A deficiência de zinco durante o crescimento pode prejudicar o acúmulo de massa óssea, também aumenta o risco de desenvolvimento de osteoporose, pois pode levar a queda significativa da massa óssea.

Dolomita: rocha calcária rica em cálcio e magnésio, minerais importantes para saúde óssea.

Probióticos: de nada adianta incluir esses alimentos em nossa dieta se nosso intestino não estiver saudável e pronto para absorver os nutrientes desses alimentos, por isso o uso de probióticos é recomendado, pois fornece bactérias benéficas que irão colonizar o intestino regularizando seu funcionamento e melhorando a absorção de nutrientes.

Fonte: Thais Souza
Nutricionista da Rede Mundo Verde

(Disponível no Mundo Verde)