Notice: Undefined offset: 0 in /home/dh_pztkek/ambientalsustentavel.org/wp-includes/capabilities.php on line 149

Organismos marinhos paralisam usina nuclear nos Estados Unidos

Os trabalhadores da usina nuclear de Diablo Canyon tiveram uma surpresa viscosa esta semana quando descobrim um acúmulo de criaturas semelhantes a água-viva que se agarraram à estrutura, levando à paralisação da planta.
Os organismos, conhecidos como salpa, são pequenas criaturas do mar com uma consistência semelhante à água-viva. A usina está localizada em Avila Beach, Califórnia.
O influxo de salpas foi descoberto em parte do sistema da planta durante um monitoramento de rotina, de acordo com Tom Cuddy, o gerente sênior de comunicações externas e nuclear da Pacific Gas & Electric, empresa operadora da planta. “Em seguida, tomomamos a decisão conservadora de desaceleração da unidade afetada para 20 por cento e continuamos a acompanhar a situação”, disse Cuddy. “Como o problema continuou, tomamos uma outra decisão conservadora, que seria o mais seguro cortar a força da unidade.”
As salpas causaram o entupimento das telas no interior da estrutura de admissão, que se destinam a manter a vida marinha para fora essegurar que a unidade seja refrigerada.
“Segurança é a mais alta prioridade”, disse Cuddy. “Nós não vamos reiniciar a unidade até que a salpa se mova e as condições melhorem. Nenhuma prioridade é mais importante que a operação segura das nossas instalações.”

A planta é constituída por duas unidades. A unidade 1 foi desligada anteriormente por causa do processo de reabastecimento e manutenção e não entrará em funcionamento durante várias semanas. Agora que a Unidade 2 foi desligada por causa do influxo de salpas, a planta cessou toda a produção.

Mesmo com a planta Diablo Canyon fora de operação, a PG&E se comprometeu a continuar a produção utilizando outras fontes de energia para que seus clientes não sejam afetados pelo fechamento.
“Já tivemos salpas presas à estrutura de admissão antes, mas nunca a esse ponto”, disse Cuddy.

A estratégia da planta? Simplesmente esperar até que as salpas sigam seu caminho e retomar a produção assim que os filtros estiverem livres.

As salpas funcionam como bombas biológicas, sequestrando carbono da superfície e transportando para o fundo oceânico no final do seu ciclo de vida.   Crédito: Richard Herrman
Fonte: Instituto EcoFaxina
Quando ocorrem blooms algais as salpas podem rapidamente aumentar a sua população produzindo assexuadamente clones que consomem o fitoplâncton.

Quando ocorrem blooms algais as salpas podem rapidamente aumentar a sua população produzindo assexuadamente clones que consomem o fitoplâncton.