Autoridades defendem uso de satélite no monitoramento das áreas de exploração de petróleo

A diretora-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Magda Chambriard, e o secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, concordaram, durante reunião na tarde de hoje (23), com a necessidade de um monitoramento por satélite das áreas de exploração de petróleo em alto-mar, como forma de aperfeiçoar o sistema de fiscalização e de controle de eventuais acidentes.

Minc defendeu que “esta obrigação deveria constar, como uma condicionante ambiental, do processo de concessão para a exploração de determinada região por parte da ANP”. Magda Chambriar disse  ter a expectativa de quando da entrada em operação do primeiro satélite nacional do sistema de defesa brasileiro, a ANP “possa ser autorizada a compartilhar esse moderno equipamento para suas ações de monitoramento das atividades de exploração de petróleo”.

A diretora da ANP declarou ainda que algumas das sugestões discutidas na reunião são de competência do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), como a que prevê a disponibilização, na internet, de dados sobre as principais conclusões dos estudos geológicos feitos do fundo do mar em áreas de bacias petrolíferas.

Magda Chambriard gostou da sugestão de Minc para que o Ibama também disponibilize em seu site informações sobre o perfil técnico dos profissionais e equipamentos previstos no Plano de Emergência Individual (PEI) da empresa responsável pelo campo de exploração de petróleo.

Fonte: Agência Brasil