TJ-MT firma parceria para reciclagem de papel

Resgatar a autoestima de pessoas de comunidades carentes, transformando lixo em arte. Este é o objetivo do projeto Vida dos Cooperados do Aterro Sanitário de Cuiabá, desenvolvido pela Associação Cultural Cena Onze com a Cooperativa de Trabalhadores e Produtores de Materiais Recicláveis (Coopemar) e que desde essa terça-feira (23 de agosto) conta com a parceria do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT).

O termo de parceria consiste no fornecimento à associação, por parte do Tribunal de Justiça, de papéis recicláveis e foi assinado pelo vice-presidente do TJMT, desembargador Juvenal Pereira da Silva, e pela presidente da Associação Cultural Cena Onze, Alessandra Barros, tendo como testemunhas o juiz diretor do Foro da Comarca de Cuiabá, Adilson Polegato de Freitas, e o diretor artístico do Cena Onze, Flávio Ferreira. A associação fica responsável pela coleta do material.

Para o vice-presidente do TJMT, é grande a satisfação do Poder Judiciário em colaborar com projetos de tamanha importância social. “São de pequenas coisas que nascem grandes projetos”, avaliou o desembargador Juvenal Pereira da Silva. “O TJMT colabora com papéis que seriam inservíveis ao Judiciário e retira milhares de quilos de lixo do nosso ambiente. Se der certo, o projeto poderia ser expandido para outras comarcas”, adiantou. “Nesse processo cumprimos um dos principais objetivos do Judiciário, que é a redução de conflitos ambientais, além de colaborar com o Programa de Racionalização do Poder Judiciário”, avaliou o desembargador.

O juiz diretor do Foro da Comarca de Cuiabá anunciou que os parceiros podem contar com os produtos recicláveis da unidade jurisdicional. “As portas do Fórum Desembargador José Vidal estão abertas para boas ideias”, anunciou. “Este é só um dos passos para reduzir o impacto do lixo na nossa cidade e na melhoria da qualidade de vida da população”, observou.

A presidente da Associação Cultural Cena Onze, Alessandra Barros, explica que o grupo teatral existe há 11 anos, mas o projeto de reciclagem começou há pouco mais de um mês na região do aterro sanitário de Cuiabá (km6 da estrada do Coxipó do Ouro). A oficina de reciclagem de papel e criação de obras de artes com produtos reciclados é realizada pela integrante do grupo teatral Fátima Jabour, aos sábados, das 8h às 11h30. “Hoje temos 30 alunos da cooperativa. Com o projeto, essas pessoas que já faziam a separação do lixo podem ter uma nova profissão e se desenvolverem, conhecendo mais a si mesmo e a importância da transformação”, comentou.

O presidente da Coopemar, Wanderley Cavenaghe, informa que a cooperativa existe desde 1994 e que hoje os cooperados conseguem processar 150 toneladas por dia, mas chegam ao aterro cerca de 300 toneladas/dia. “Se tivéssemos mais estrutura, poderíamos processar 100%. Metade é inutilizada, o que significa dinheiro desperdiçado”, lamentou. “Os materiais do TJMT chegarão já separados, prontos para a reciclagem, por isso a importância dessa parceria”, avaliou.

Fonte : O DOCUMENTO