Rejeito de mineradora vaza em Minas e preocupa moradores

O vazamento de rejeitos ocorrido há uma semana nos córregos Paciência e Tijuco, área da Mineração Serras do Oeste (MSol), em Itabirito (MG), preocupa moradores do distrito de Acuruí, embora o órgão ambiental estadual diga não haver contaminação das águas.

Rio das Velhas - Região Metropolitana de Belo Horizonte (MG) - Foto: Brasil das Águas - Gérard e Margi Moss - 2007

Rio das Velhas - Região Metropolitana de Belo Horizonte (MG) - Foto: Brasil das Águas - Gérard e Margi Moss - 2007

“Não é um caso preocupante. A Copasa (estatal mineira de saneamento) fez exame na água e não constatou contaminação”, disse a Feam (Fundação Estadual do Meio Ambiente), órgão de fiscalização vinculado à Secretaria de Estado do Meio Ambiente.

Segundo o órgão, por duas vezes na semana passada técnicos do órgão fiscalizaram a área afetada e constataram não ter havido contaminação por cianeto na água, produto utilizado na extração de ouro. Os córregos deságuam no Rio das Velhas, que abastece Belo Horizonte.

O motivo do vazamento foi o rompimento do duto que leva o rejeito para a barragem. Vazaram 273 mil litros de rejeito durante três horas. Segundo a Feam, a empresa detectou o vazamento e comunicou o problema às autoridades ambientais.

A Feam informou que, diante das reclamações dos moradores do distrito de Acuruí, no último sábado um técnico voltou ao local, na companhia de pessoas da comunidade, e não detectou problemas. Apenas um peixe morto, já em estado de decomposição, foi encontrado na área vistoriada.

Marina Sardinha, secretária do Meio Ambiente de Itabirito, disse que a empresa de água e esgoto do município e a vigilância sanitária municipal também fizeram inspeção e análises em materiais colhidos na área e não detectaram problemas de contaminação, além da sujeira provocada pelo vazamento. A limpeza está sendo providenciada pela empresa.

Fonte : Paulo Peixoto / FOLHA