ONG adverte que crise de fome pode se estender até 2012

Situação nutricional e meios de vida precários da população agravam problema.

O responsável humanitário da ONU para a Somália advertiu que esta crise representa a mais grave situação de insegurança alimentar em todo o mundo, com os índices de desnutrição mais elevados do planeta, até 50% em algumas zonas do sul da Somália. Os dados divulgados pelas Nações Unidas mostram que quase metade da população da Somália, cerca de 3,7 milhões de pessoas, está em crise humanitária, dos quais 2,8 milhões estão no sul do país. Fonte: Diário Digital

A ONG internacional Ação contra a Fome advertiu que a grave crise de fome que assola o Chifre da África se estenderá, pelo menos, até 2012, devido à delicada situação nutricional e aos precários meios de vida da população. A organização, que trabalha na região, demonstra preocupação pelo prolongamento do problema, prevê que a situação não irá melhorar durante os próximos meses e alerta que a população quase não conta com recursos para sobreviver.

“Ainda que a próxima temporada de chuvas, que deve começar em outubro, seja boa, a emergência humanitária se estenderá pelo menos até o próximo ano”, assinala a ONG em comunicado. Mais de 500.000 pessoas receberam o apoio de Ação contra a Fome na Somália, Djibuti, Etiópia e Quênia, entre março e julho, enquanto a organização tenta aumentar suas atividades para atenuar a crise regional.

As equipes de Ação contra a Fome estão presentes em Mogadíscio, capital da Somália, e na região de Bakool, no sul deste país, um dos mais afetados pela crise. Além disso, a organização está trabalhando nas áridas zonas pastorais etíopes, com os agricultores no Quênia e na Etiópia e nos bairros mais desfavorecidos.

Fonte: Agencia EFE _ VEJA