Não tire as penas da vida

Foto : Patricia Patriota _ Lago Paranoá-DF

A Gerência do Ibama em Santarém e a Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semma), intensificarão as ações de conscientização e fiscalização sobre o uso de partes de animais silvestres, especialmente penas, dentes e peles, utilizados em brincos, colares, cocares e outros artefatos.

A campanha, intitulada como “Não tire as penas da vida”, será intensificada na semana do Sairé, festival típico que ocorre entre os dias 15 e 19 de setembro em Alter do Chão, distrito de Santarém/PA, manifestação cultural que acontece há mais de 300 anos e envolve os botos cor-de-rosa e tucuxi.

Para confeccionar esses materiais para o Sairé, animais chegam a ser sacrificados, como tucanos e araras, para obter os itens naturais dos objetos que desejam produzir. “Sacrificar animais silvestres para fazer qualquer tipo de objeto é crime. Junto às comunidades, promovemos campanhas e orientações para impedir esse tipo de situação. Mas o turista também precisa se conscientizar e não comprar adereços que contenham partes de animais. Quem fabrica, só o faz por haver a demanda, geralmente, de turistas”, explica Hugo Américo Schaedler, Gerente do Ibama em Santarém.

Em um levantamento realizado pela fiscalização do Ibama, os animais mais abatidos para essa finalidade são araras, papagaios, periquitos, gaviões, jacaré, pirarucu, cobras, catitus, macacos e, não raro, onças. A penalidade para quem pratica esse tipo de crime ambiental inclui o pagamento de multas – que podem chegar a R$ 5 mil por espécie – e até reclusão de seis meses a um ano.

A campanha será feita, principalmente, no aeroporto e nos portos, com distribuição de panfletos em português e em inglês, além de tirar as dúvidas de quem estiver chegando para as festividades.

Fonte : Nelson Feitosa
Ascom Ibama/PA