Maior mapa marinho já feito em 3D


Uma parceria entre a Google e a Universidade de Colúmbia expandiu em 50% a abrangência do mapa marinho disponível no Google Earth – serviço de navegação de mapas em três dimensões da Google. Com isso, qualquer internauta pode “mergulhar” em regiões marítimas e ver morros, vulcões marítimos, cordilheiras de montanhas submarinas e grandes depressões que determinam os ecossistemas marinhos.

Para aumentar a área, a Google utilizou dados do de topografia global do Observatório Lamont-Doherty Earth em Colúmbia. Foram utilizadas imagens colhidas por quase 500 navios de cruzeiro e 12 diferentes instituições ao longo de 20 anos.

Em uma nota divulgada no blog Google’s Lat Long, a defende que o mapeamento do fundo do mar é vital para a compreensão de como os tsunamis se difundem pelo planeta. “Um exemplo é o mapa criado pela Administração Nacional Oceanográfica e Atmosférica (NOAA) sobra difusão de tsunamis após o terremoto no Japão, que permite a qualquer pessoa verificar a possível direção das ondas”, afirmou.

No programa é possível visualizar cenários como o gigantesco Cânion Hudson, próximo à cidade de Nova York, o Wini Seamount, próximo ao Havaí e o escarpado Mendocino Ridge, de três quilômetros de altura, na costa do Pacífico dos Estados Unidos.

Mas, apesar de a colaboração ter dobrado as informações disponíveis e mapeado uma área mais extensa que a da América do Norte, a equipe admite que apenas cerca de 5% do solo oceânico foi incluído no mapeamento.
“O leito marinho possui paisagens impressionantes, vulcões, picos elevados, planícies e vales profundos, mas grande parte dessa área foi menos mapeada do que as superfícies da Lua e de Marte”, informou o Observatório Lamont-Doherty Earth .
A nova camada do Google Earth foi lançada em comemoração ao Dia Internacional dos Oceanos, comemorado em 8 de junho.

fonte:Ecodesenvolvimento

Tags: , ,