Livro Verde do Século 21 foi apresentado durante o Rio Global Green Business

EUBRA selecionou os 100 casos de destaque mundial em Economia Verde, com importantes contribuições do Brasil

O EUBRA – Conselho Euro-Brasileiro de Desenvolvimento Sustentável apresentou, hoje, o Bright Green Book, “Livro Verde do Século 21”, publicação que mostra as 100 iniciativas mundiais mais importantes em economia verde. A cerimônia, realizada durante o Rio Global Green Business, foi bastante prestigiada e contou com a presença, dentre outras autoridades, do embaixador da ONU no Brasil, Jorge Chediek; do diretor-geral da ONU-Habitat para a América Latina, Alain Grimard; do governador do Amapá, Camilo Capiberibe; do secretário estadual do Meio Ambiente do Rio de Janeiro, Carlos Minc; do coordenador de Relações Internacionais da cidade do Rio de Janeiro, Embaixador Stelio Marcos Amarante, de um representante do governo de Pernambuco, Márcio Estefani; do embaixador da Itália no Brasil, Gherardo La Francesca; do Ministro do Meio Ambiente italiano, Corrado Clini; e do adido econômico do Consulado da Holanda no Rio, Robin de Rooy; além de representantes da iniciativa privada.

Esse trabalho demandou ampla pesquisa, levando em consideração a importância do avanço tecnológico e seus impactos na preservação do meio ambiente, e foi realizado em parceria com a Agência Brasileira de Investimentos Climáticos, ONU-Habitat, Prefeitura do Rio de Janeiro e Ministério das Relações Exteriores, com o apoio do Banco do Nordeste. Segundo Robson Oliveira, sociólogo e presidente do EUBRA, “a ideia é promover as iniciativas que estão construindo a economia verde em nosso planeta, apontando o caminho para uma estratégia possível de desenvolvimento, com planejamento energético e gestão urbana sustentáveis. A economia verde é a forma mais eficiente para responder ao desafio que se impõe hoje para a humanidade de expansão sustentável, comprometida com a redução nos impactos ambientais e sociais”.

Ao todo, foram examinados cerca de 350 casos em diversos países, onde o uso de tecnologia limpa está dinamizando os setores de finanças, planejamento urbano e desenvolvimento local. O Brasil responde por 51 casos desse total, demonstrando iniciativas diferenciadas como o desenvolvimento do papel sulfite ecológico, óleos essenciais, projetos de tecnologia de sustentabilidade na Amazônia, sistemas agroflorestais, biocombustíveis, criação do plástico verde, implantação da primeira usina de energia solar comercial no Brasil, fruticultura irrigada, manejo florestal sustentável, utilização de energias renováveis, medicamentos biológicos, frutas liofilizadas, entre outros.

O livro ficará disponível no site [www.brightgreencities.com] e em outros sites parceiros para consulta ou download gratuito.

http://www.revistafator.com.br/ver_noticia.php?not=160614