Governo federal lança campanha sobre coleta seletiva dentro de casa

Ação integra processo de implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos e será até o final de julho

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) em parceria com o do Desenvolvimento Social (MDS) começou a veicular no domingo (19/6) a campanha publicitária “Separe o Lixo e Acerte na Lata”. A campanha tem o objetivo de orientar e incentivar os consumidores brasileiros a separar o resíduo secos do úmido dentro de casa e é uma das ações previstas na Política Nacional dos Resíduos Sólidos (PNRS), sancionada em dezembro.

“A campanha vai facilitar a vida do catador e incrementar a reciclagem dos resíduos no país”, diz a nota publicada pelo MMA. O material será veiculado em rádios, TV´s, jornais, revistas e sites além de redes sociais durante um mês. Confira aqui as peças da campanha. São três filmes de 30 segundos para TV, quatro anúncios para revistas, um spot de rádio, banners para internet. O material também pode ser baixado e distribuído em mídias sociais.

Vele lembrar que a reciclagem é apenas uma das etapas do consumo consciente. “Antes, é preciso reduzir o consumo, reutilizar os produtos sempre que possível e, finalmente, não havendo mais possibilidade de tirar proveito dele, ai sim, encaminhar o que é reciclável para reciclagem”, ressalta Camila Melo, gerente do programa de educação do Instituto Akatu.

“A campanha instrui o consumidor para a prática correta da coleta seletiva dentro de casa e viabiliza sua efetiva participação – junto com governos, fabricantes, importadores, distribuidores e vendedores – na responsabilidade compartilhada da gestão e destinação correta dos resíduos após a vida últil do produto”, afirma Melo.

“A campanha instrui o consumidor para a prática correta da coleta seletiva dentro de casa e viabiliza sua efetiva participação – junto com governos, fabricantes, importadores, distribuidores e vendedores – na responsabilidade compartilhada da gestão e destinação correta dos resíduos após a vida últil do produto”, afirma Melo.

Segundo Melo, “sem a coleta seletiva de resíduos dentro de casa, a logística reversa – uma das principais determinações da PNRS – não pode ser plena, porque o descarte correto é a última etapa do processo de consumo e depende fundamentalmente da consciência e apropriação do consumidor”.

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indicam que cada brasileiro produz quase um quilo de lixo por dia, o que soma 183 mil toneladas diárias em todo o país. Deste volume, cerca de 73 mil toneladas são de resíduos recicláveis não aproveitados. Em valores monetários, segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), isso equivale à perda de R$ 8 bilhões por ano.

Fonte: http://www.akatu.org.br