Artigo da Science diz que a Oceania foi ocupada antes do que a Ásia

Formada por variados grupos de ilhas no Oceano Pacífico, a Oceania é o menor "continente" em área e o segundo menor (após a Antártica) em população. Possui uma área total de 8.480.355km2. O nome Oceania vem de Oceanus, o deus dos rios. Embora as ilhas da Oceania não formem um continente verdadeiro, alguns associam a Oceania com o continente da Austrália ou com a Australásia, com o propósito de dividir o planeta em agrupamentos continentais. A Austrália, país moderno e de primeiro mundo (3° do mundo no Índice de Desenvolvimento Humano), é o principal país do continente, ocupando quase 90% do mesmo. Fonte : sogeografia.com.br

No fim de outubro, a população mundial deve chegar a 7 bilhões de pessoas, espalhadas — em maior ou menor número — por praticamente todas as regiões de todos os continentes. Antes, no entanto, que o homem ocupasse o lugar de espécie dominante no planeta, ele precisou percorrer, literalmente, um longo caminho. Isso porque a espécie humana não surgiu distribuída ao redor do globo, mas concentrada na região nordeste da África, onde hoje fica a Etiópia. Um artigo publicado na edição de hoje da revista Science traz nova luz sobre o primeiro dos grandes movimentos populacionais terrestres: a chegada do homem à Austrália, o que deu origem ao povo aborígene.

Segundo a teoria anteriormente estabelecida, um único fluxo migratório para fora da África teria sido responsável pelo povoamento da Ásia e da Oceania. De acordo com essa tese, depois de dominarem a África, os homens aos poucos migraram apara a Ásia, originando o homem Han — com o cabelo liso e o olho puxado — e posteriormente para a Oceania, onde vivem os aborígenes, que possuem traços mais semelhantes aos africanos, como a pele escura e o nariz largo.

Entretanto, utilizando amostras de DNA de uma mecha de cabelo doada por um jovem aborígene no início do século 20 — uma época em que não havia tido ainda tanta miscigenação com o homem europeu, que aportou na região por volta de 1642 —, os pesquisadores fizeram o sequenciamento genético do indivíduo, comparando-o com dados anteriormente disponíveis de 79 pessoas de origem africana, asiática e europeia, todas sem miscigenação.

A comparação mostrou que todos esses povos de fato tiveram a mesma base genética — como se supunha, do homem surgido na África. No entanto, o estudo apontou que asiáticos e aborígenes possuem um material genético muito diferente (menos de 0,5% de coincidência), o que refuta a tese de que eles são fruto de um único movimento migratório. “Após comparar o padrão genético desses indivíduos, a partir de previsões matemáticas, nossos modelos de computador mostraram que deve ter havido duas grandes ondas de dispersão”, diz ao Correio o pesquisador da Universidade da Califórnia Berkley Rasmus Nielsen, um dos autores do estudo.

Viagem incrível

Para os pesquisadores, os nativos da Oceania foram resultado de um movimento migratório ocorrido entre 62 mil e 75 mil anos atrás. Dessa forma, eles seriam o primeiro povo a se estabelecer fora da África. “Enquanto os antepassados dos europeus e asiáticos estavam sentados em algum lugar na África ou no Oriente Médio, ainda a explorar o seu mundo, os ancestrais dos aborígenes australianos se espalharam rapidamente”, afirma à Science Eske Willerslev, da Universidade de Copenhague, na Dinamarca, principal autor do estudo. “Eles foram os primeiros humanos modernos a percorrer um território desconhecido na Ásia e, finalmente, cruzar o mar na Austrália. Foi uma viagem realmente incrível, que deve ter exigido habilidades de sobrevivência e excepcional bravura”, completa.

A grande jornada, no entanto, não deve ter sido rápida. Embora os pesquisadores não possam determinar quanto tempo o homem levou para cruzar o imenso continente asiático, rumo à Oceania, acredita-se que o caminho tenha exigido milhares de anos para ser feito. “A maioria dos arqueólogos acredita na ideia de uma rota do sul, onde a dispersão foi principalmente sobre a terra, passando pela Índia, e posteriormente por entre as ilhas da Indonésia, terminando na Austrália”, explica Nielsen. “Esse é um processo que teria levado milhares de anos.”

Apesar de cruzarem a Ásia, os ancestrais dos aborígenes não se fixaram por lá. Foram precisos outros milhares de anos para a atual população asiática ser formada. Entre 25 mil e 38 mil anos atrás, outros grupos africanos foram se estabelecendo não apenas na Ásia, como também na Europa. E somente há 15 mil anos o gelado Estreito de Bering, que separa a Sibéria do estado americano do Alasca, foi cruzado pelo homem, iniciando o povoamento da América. (MMM)

Fonte : CORREIO BRAZILIENSE