Vidro no lixo pode causar queimadas

Peças deste tipo causam fogo em ambientes secos e ainda existem pessoas que desconhecem esse risco.

 

Foto : Divulgação

Certos tipos de objetos, se forem jogados em lugares de umidade seca, podem causar sérios problemas à natureza, como as queimadas. Essa regra vale para restos de cigarro e fósforos acesos jogados pela janela de automóveis. Outro tipo de objetos capazes de provocar um incêndio são os que são feitos de vidro.

Isto acontece porque o vidro potencializa os raios solares. Esses raios, quando se refletem em elementos, como folhas secas, podem iniciar possíveis focos de queimadas. Além disso, há também o perigo da fumaça criada por meio dessas queimadas, que por muitas vezes atrapalha a visão de motoristas, principalmente em rodovias e estradas, provocando acidentes de trânsito e a saúde de pessoa com problemas respiratórios.

Por este motivo, a própria Polícia Rodoviária Federal (PRF) recomenda evitar jogar produtos que provocam fogo em ambientes secos, inclusive o vidro, principalmente em rodovias e estradas.

Esse risco existe, porém as pessoas sabem desta importante informação? Segundo a pesquisa feita nesta matéria, muitas já conhecem este tipo de problema e os cuidados a serem tomados, como evitar objetos de vidro pela janela de automóveis em ambientes secos. No total, 83% sabem do problema, e apenas 17% estão desinformadas.  

Entre aquelas que não têm conhecimento desta informação, está o caso do administrador Antônio Paulo. Ele acredita que isto acontece porque não há divulgação do assunto. Mesma opinião compartilhada com a instrutora de auto-escola Marifélia Florenciano. Embora tome as medidas necessárias com os objetos que usa no carro (como os de vidro), a instrutora afirma o fato da falta de divulgação deste problema. “Ainda há pessoas leigas” diz.

Porém, há também pessoas que discordam dessa visão, e afirmam faltar educação, bom senso e conscientização da população sobre os riscos de jogar vidro em locais propícios para inicio de queimadas. Esta opinião é compartilhada pelo motorista Fabiano dos Santos. “Falta conscientização, não precisa de mídia para saber disso”, afirma Fabiano, que prevenido, sempre leva um saco plástico para jogar produtos descartáveis que utiliza no carro.    

Outro fato negativo deste assunto é a afirmação de alguns entrevistados sobre a impunidade a pessoas que cometem o ato de jogar esses objetos pela janela dos veículos que usam. “O problema é que certas pessoas acham poder fazer o que quiser, desrespeitar. Não há punição para o desrespeito”, afirma um motoboy que prefere não se identificar.

Falta de conscientização da população, desconhecimento deste tipo de informação e sentimento de impunidade. Um conjunto de coisas que levam os problemas das queimadas a não serem resolvidos. Talvez uma mudança de comportamento dos cidadãos, aliado um a trabalho de divulgação dos meios de comunicação e dos órgãos públicos tem a capacidade de mudar esta situação.

Atitudes e gestos teoricamente simples, mas que podem fazer a diferença. O que não pode continuar é um problema no qual muitos sabem da informação, mas não praticam uma solução.

 

 

Fonte : GUILHERME BARROS/ UNIFOLHA -online

 

 

 

 

 

 

 

 

Print Friendly, PDF & Email