Notice: Undefined offset: 0 in /home/dh_pztkek/ambientalsustentavel.org/wp-includes/capabilities.php on line 149

MapBiomas: Brasil perdeu um estado do RJ inteiro de florestas em três anos

por ClimaInfo

42 mil km2, um território equivalente ao do estado do Rio de Janeiro. Eis o custo do desgoverno ambiental do atual presidente da República refletido na área total de vegetação perdida pelo Brasil nos últimos três anos. Em todo o país, a tendência é a mesma: desmatamento em alta, fiscalização em baixa e muita preocupação sobre os efeitos dessa destruição para o meio ambiente e o clima. Os dados são do MapBiomas, que divulgou nesta 2ª feira (18/7) seu Relatório Anual de Desmatamento no Brasil.

Somente em 2021, a perda de vegetação foi de 16.557 km2, um aumento de 20% em relação ao total observado no ano anterior. A velocidade média do desmatamento também aumentou: no ano passado, o Brasil perdeu 0,18 hectares de floresta por dia, acima dos 0,16 hectares diários de 2020. O desmatamento médio diário em 2021 foi de 4.526 hectares, o que equivale também a 189 hectares por hora.

A Amazônia concentrou a maior parte do desmatamento registrado em 2021. De acordo com o MapBiomas, a floresta representou 59% da área desmatada em todo o país, somando 66,8% dos alertas de desmate. Foram mais de 977 mil hectares de vegetação destruídos no ano passado, número 15% superior ao registrado em 2020 (851 mil). Já o Cerrado vem em seguida na relação dos biomas mais afetados pelo desmatamento, com perda de pouco mais de meio milhão de hectares (30% do total nacional). Juntos, os dois biomas representaram mais de 89% da área desmatada detectada no ano passado.

No ranking dos estados mais desmatados, lideram Pará (402,4 mil ha, 24,3% do total), Amazonas (194,4 mil ha, 11,8%), Mato Grosso (189,8 mil ha, 11,5%), Maranhão (167 mil ha, 10,1%) e Bahia (152 mil ha, 9,2%). Já entre as áreas que registraram maior desmatamento, o destaque está nas propriedades privadas, que concentraram 69,5% do total, seguidas pelas glebas públicas com 10,6% (sendo 9,3% em terras públicas não destinadas), UCs com 3,6% e Tis com 1,7%.

O MapBiomas também cruzou os dados sobre alertas de desmatamento com informações do Cadastro Ambiental Rural (CAR) para identificar os imóveis com incidência de destruição florestal. O cruzamento identificou uma correspondência de 77% da área total desmatada, o que permite apontar eventuais responsáveis para ao menos ¾ do desmatamento registrado no ano passado. Foram mais de 59,1 mil imóveis com desmatamento detectado em 2021, o que representa 0,9% dos imóveis cadastrados no CAR até o final daquele ano.

Folhag1O GloboUm Só Planeta e UOL repercutiram os dados do MapBiomas sobre desmatamento no Brasil.

Fonte: https://racismoambiental.net.br/2022/07/19/mapbiomas-brasil-perdeu-um-estado-do-rj-inteiro-de-florestas-em-tres-anos/