Notice: Undefined offset: 0 in /home/dh_pztkek/ambientalsustentavel.org/wp-includes/capabilities.php on line 149

Apreensão de equipamentos do garimpo ilegal caiu mais de 80% sob Bolsonaro

por ClimaInfo

Acusado pelo presidente Jair Bolsonaro de “abusar” na destruição de maquinário de garimpo apreendido em operações de fiscalização, o IBAMA vem diminuindo consideravelmente a prática nos últimos anos, pressionado pelo mesmo Palácio do Planalto.

O Globo destacou um levantamento feito pelo Observatório do Clima sobre a quantidade de equipamentos apreendidos e inutilizados pelos agentes do IBAMA nos últimos três anos. Os números evidenciam, mais uma vez, a falácia presidencial.

Em 2018, o IBAMA apreendeu 2.391 equipamentos utilizados em atividades ilegais na Amazônia; já em 2021, esse número caiu para 452, uma queda de 81%. Somente 2% das operações de fiscalização resultaram na destruição de maquinário pelos agentes federais. Enquanto isso, os números do desmatamento explodiram na Amazônia no mesmo período.

Depois das críticas de Bolsonaro, a Associação Nacional dos Servidores de Meio Ambiente afirmou que pretende acionar a Justiça para que o presidente esclareça, em juízo, as supostas irregularidades cometidas pelos funcionários do IBAMA em apreensão e destruição de equipamentos utilizados no desmatamento e no garimpo ilegal.

“Quando o próprio presidente do país se declara publicamente contra as ações de proteção do órgão, ele acaba incitando a violência contra nós”, observou Wallace Lopes, agente do IBAMA e vice-presidente da associação de servidores do órgão no Tocantins.

Enquanto isso, o ex-ministro e presidenciável Ciro Gomes prometeu a retomada da fiscalização e do combate ao desmatamento na Amazônia caso seja eleito em outubro. “A algema vai voltar a funcionar no primeiro dia do meu governo, disso ninguém duvide”, disse Ciro em entrevista ao Jornal Nacional (TV Globo).

Ele também defendeu um projeto de desenvolvimento sustentável para a região, de maneira a oferecer à população amazônida novas oportunidades de geração de renda e emprego que não resultem na destruição da floresta.

“O nosso povo só sabe desmatar, pegar a madeira de lei sensível, corta e ganha US$ 2 mil por um metro cúbico, dois metros cúbicos de mogno. Ele não entende como ele vai passar fome com o filho dele (…) com aquela árvore ali podendo dar US$ 2 mil com contrabando absolutamente grave”.

Estadão e Poder360 destacaram as promessas ambientais do candidato.

Em tempo: Mais do que a imagem internacional do Brasil, o que está em jogo nas eleições de outubro é o futuro da democracia no país. Em conversa com Jamil Chade no UOL, a eurodeputada espanhola Iratxe García alertou para a importância da votação no Brasil e a necessidade de um futuro governo, que não seja a continuidade do atual, de restabelecer pontes com o resto do mundo e fortalecer suas próprias instituições democráticas. “A democracia e os direitos humanos são conquistas que precisamos alimentar todos os dias. Nunca está garantido para o resto da vida. Pode haver retrocesso. Mas também podem ser reconquistadas. E esse é o momento importante que o Brasil vive. Vimos um governo que deteriorou a luta pela justiça social, pela igualdade, pelo meio ambiente e [contra] a pobreza”.

Fonte: https://climainfo.org.br/2022/08/24/apreensao-de-equipamentos-do-garimpo-ilegal-caiu-mais-de-80-sob-bolsonaro/?utm_source=akna&utm_medium=email&utm_campaign=25082022-ClimaInfo-Newsletter