14% dos corais do mundo desapareceram entre 2009 e 2018, aponta relatório

Segundo o documento, a área perdida é maior do que todos os corais vivos na Austrália


Raios de sol iluminam um recife de coral no Mar Vermelho, perto da cidade de Jeddah, na Arábia Saudita. Foto de dezembro de 2019. — Foto: REUTERS/Lucas Jackson
Raios de sol iluminam um recife de coral no Mar Vermelho, perto da cidade de Jeddah, na Arábia Saudita. Foto de dezembro de 2019. — Foto: REUTERS/Lucas Jackson

Por France Presse, via G1

Um relatório divulgado nesta terça-feira (5) pela organização Global Coral Reef Monitoring Network (GCRMN) aponta que 14% dos corais do mundo desapareceram entre 2009 e 2018 devido à pesca, poluição e às mudanças climáticas.

Para chegar a essa conclusão, foram colhidos dados em 12 mil locais de 73 países. Segundo a organização, esse é “o panorama científico mais preciso feito até hoje sobre os danos causados pelo aumento da temperaturas [nos oceanos]”.

“Os recifes de coral do mundo inteiro sofrem um estresse permanente por conta do aquecimento causado pelas mudanças climáticas e de outras pressões locais, como a pesca predatória, o desenvolvimento costeiro e o declínio da qualidade da água”, explica o relatório.

“Entre 2009 e 2018, o mundo perdeu cerca de 14% dos corais em seus recifes, o que representa cerca de 11.700 km², uma quantidade maior do que todos os corais vivos na Austrália”, destaca o comunicado.

“Embora os recifes cubram menos de 1% do fundo do oceano, eles abrigam pelo menos um quarto do conjunto da fauna e flora marinhas”, acrescenta o texto, o qual destaca que eles representam “um habitat crucial e uma fonte de proteínas e medicamentos” dos quais dependem “pelo menos 1 bilhão de pessoas no planeta.

O estudo de 10 regiões de corais mostra que “os episódios de branqueamento devido ao aumento das temperaturas na superfície marinha têm sido o principal fator de desaparecimento dos corais“, particularmente durante um episódio registrado em 1998.

As mudanças climáticas são a pior ameaça aos recifes do mundo e temos que fazer tudo que estiver ao nosso alcance, limitando o mais rapidamente possível as emissões globais de gases do efeito estufa”, adverte Paul Hardisty, diretor geral do Instituto Australiano de Ciências Marinhas, citado no relatório.

https://g1.globo.com/meio-ambiente/noticia/2021/10/05/14percent-dos-corais-do-mundo-desapareceram-entre-2009-e-2018-aponta-relatorio.ghtml