Carestia provoca invasão do mercado por queijos fake, feitos com batata e gordura

Reprodução: Youtube

Por Nilson Regalado

O alto recorde no preço das rações à base de milho e soja servidas às vacas, somado à estiagem que prejudica pastagens, têm provocado um efeito colateral. Com o preço do leite nas alturas, o mercado está sendo invadido por ‘queijos’ feitos com ingredientes como amido de batata e gordura vegetal, mais baratos e menos nutritivos que a matéria-prima original. O alerta foi feito nesta semana pela Associação de Pequenos e Médios Laticínios do Rio Grande do Sul. E os principais consumidores destes queijos fake seriam restaurantes, redes de fast food e fabricantes de produtos congelados, principalmente pizzas.

Mas, também há relatos de ‘análogos’ feitos com ingredientes alternativos imitando os queijos Boursin, Coalho, Pecorino Romano, Minas Frescal e até requeijão cremoso. Em geral, o ‘análogo’ é produzido com técnicas similares às utilizadas na fabricação tradicional com a finalidade de obter produtos com aparência, textura, sabor e aroma semelhantes ao queijo que se deseja imitar.

Os tais ‘análogos’ surgiram nos EUA na década de 1970 justamente para reduzir o custo das refeições feitas na rua. O problema é que, até hoje, não há uma legislação específica no Brasil. Assim, os parâmetros são vagos quanto ao percentual de leite necessário para que o produto seja considerado queijo, produto parcialmente derivado de leite ou mera cobertura culinária para pizza. Neste vácuo, muitos se travestem como ‘queijos veganos’.

Uai, enquanto isso…
A expectativa é grande em toda Minas Gerais. Um time formado por 25 especialistas e jornalistas escolherá o melhor Queijo Minas do País dentre 185 amostras pré-selecionadas. Participam queijos vindos nas regiões de Araxá, Campo das Vertentes, Canastra, Cerrado, Serra do Salitre, Serro e Triângulo Mineiro. O concurso, promovido pelo Governo do Estado, avalia sabor, textura, aroma, cor e consistência. O resultado sai no dia 9 de dezembro.

…nas Minas Gerais.
Minas produz 9 bilhões de litros de leite por ano. São 900 laticínios e 30 mil produtores. O Queijo Minas é produzido em pequenos sítios por mão de obra familiar e com leite cru (sem pasteurização), utilizando apenas coalho e sal. O modo artesanal de fabricação é considerado patrimônio cultural brasileiro pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Clarice, Bethânia e Princeton.
Para celebrar o centenário de Clarice Lispector, a Princeton University (EUA) promoveu neste mês o projeto “CLARICE 100 Years: A Tribute to Her Life and Work”. Os eventos tiveram participação especial de Maria Bethânia e dos músicos Jaques Morelenbaum e Moreno Veloso, além de pesquisadores brasileiros e norte-americanos apaixonados pela literatura de Clarice.

Filosofia do campo:
“Todas as manhãs ela deixa os sonhos na cama”. Clarice Lispector (1920-1977), jornalista e escritora ucraniana naturalizada brasileira.

Diário do Litoral: https://www.diariodolitoral.com.br/artigo/carestia-provoca-invasao-do-mercado-por-queijos-fake-feitos-com/140045/