Escândalo da carne de cavalo aumenta consumo vegetariano

Um estudo divulgado no ano passado sugeria que as mudanças climáticas e a escassez de água poderiam tornar o mundo vegetariano. Isso porque os prejuízos na agricultura levariam as alturas o custo da criação de animais para abate. No Reino Unido, a mudança de hábitos para uma alimentação mais sustentável parece ter começado – mas por outro motivo: o escândalo da carne de cavalo.

Marcas de produtos livres de proteína animal viram suas vendas crescerem de forma surpreendente no mês de fevereiro, quando se intensificou o escândalo fraude da carne de cavalo, descoberta nas lasanhas da marca Findus em janeiro.

Segundo reportagem do britânico The Guardian, o grupo Quorn, maior produtor de refeição vegetariana pronta, disse ao jornal que viu suas vendas duplicarem na segunda quinzena de fevereiro

Especializada em fazer hambúrgueres e salsichas vegetarianos a partir de um tipo de fungo comestível, a empresa está tendo que aumentar o número de turnos em sua fábrica de fermentação para lidar com a demanda.

Outra marca, a sul-africana Fry´s, verificou um aumento de 30% na venda de suas tortas vegetarianas. Supermercados que antes não demonstravam interesse em ter a alternativa em suas prateleiras também passaram a encomendar lotes.

Além de buscar produtos vegetarianos, os consumidores do Reino Unido estão mais propensos a comprar alimentos produzidos localmente.

De acordo com uma pesquisa da União Nacional dos Produtores do país (NFU, na sigla em inglês, 78% dos entrevistados disseram que as redes de supermercados deveriam oferecer mais opções de produtos locais, com sistema de rastreamento desde a sua origem até o seu destino final.

Fonte: Exame