Primeiro documento da RIO+20 traz objetivos ambiciosos

Os líderes mundiais que se reunirão no Rio de Janeiro em junho para a Conferência de Desenvolvimento Sustentável da ONU (RIO+20) deverão negociar um novo acordo para proteger os oceanos, aprovar a realização de um relatório anual sobre a situação do planeta, estabelecer uma agência ambiental mundial e apontar um comissário para as futuras gerações.

Além disso, o rascunho das intenções da conferência, publicado no site da RIO+20nesta terça-feira (10), afirma que as nações serão convidadas a assinar uma declaração contendo dez objetivos de sustentabilidade e a prometer que facilitarão o fortalecimento da economia verde.

Os objetivos em questão ainda não estão detalhados e devem ser definidos no decorrer dos próximos meses. Espera-se que temas como alimentação, energia, recursos hídricos e consumismo sejam abordados.

Apesar de traçar um conjunto de medidas ambiciosas, a RIO+20 não deverá possuir um tratado com força de lei que obrigue os países a cumprirem suas promessas. Ao invés disso, os governos ficarão livres para criar suas próprias metas.

Fonte: Instituto Carbono Brasil

Primeiro documento da RIO+20 traz objetivos ambiciosos