Ancestral de baleia ajuda a entender espécie moderna

As baleias belugas e os narvais vivem somente em águas geladas do Ártico e subártico. Agora, os cientistas descreveram uma espécie ancestral que vivia em águas temperadas entre 3 milhões e 4 milhões de anos atrás. A descoberta, publicada no periódico científico “Journal of Vertebrate Paleontology”, pode indicar que as belugas eos os narvais se adaptaram a águas frias mais recentemente.

A espécie ancestral foi descrita pelos cientistas a partir de um crânio completo encontrado em 1969 na Virgínia, nos Estados Unidos. Eles fizeram comparações anatômicas do fóssil com esqueletos de belugas e confirmaram que se tratava de uma nova espécie de baleia sem dentes — o grupo das belugas. O animal, que recebeu o nome de Bohaskaia monodontoides, vivia no clima temperado da Virgínia.

“As belugas e os narvais são encontradas somente no Ártico e subártico, apesar de que os registros de fósseis mais antigos terem sido encontrados em regiões tropicais e temperadas”, afirmou Nicholas Pyenson, geólogo que fez parte da pesquisa, em material de divulgação.

“Para obter evidências sobre quando e como as belugas e os narvais se adaptaram ao Ártico, nós precisaremos buscar respostas em tempos mais recentes”.

Fonte: G1 / Ciência e Saúde

Baleias belugas vivem somente em águas geladas do Ártico e subártico. Agora, cientistas descreveram ancestral que vivia em águas temperadas.