Petróleo de duto da Exxon Mobil vaza no Rio Yellowstone

O vazamento sob o leito do rio, onde passa o duto, aconteceu na sexta-feira (1) à noite e logo foi contido, porém a pluma de óleo se estendeu por cerca de 20 quilômetros, segundo a cobertura da mídia local.

A Exxon disse que a área a jusante do vazamento foi organizada em quatro zonas, e que as atividades de limpeza estão focadas nas duas primeiras, sendo que a última está a 19 quilômetros do local do vazamento. As outras duas zonas estão sendo analisadas.

As equipes de limpeza utilizaram materiais absorventes e de contenção, porém o vazamento forçou os municípios e fazendas a estancar a captação de água. Os esforços de contenção estão sendo dificultados por enchentes que têm tornado complicada a limpeza.

“É muito perigoso fazer qualquer coisa no rio, colocar qualquer tipo de barco…então as pessoas trabalharão das margens”, comentou o diretor de serviços de emergência do condado Duane Winslow.

Na segunda-feira cerca de 80 pessoas devem se juntar às 120 já tralhando para conter o vazamento, segundo uma declaração da Exxon no seu site. Representantes da International Bird Rescue (Resgate Internacional de Aves) devem chegar ao local na segunda-feira.

A porta-voz da Exxon Pam Malek disse que as estimativas do vazamento giram entre 750 e 1 mil barris de petróleo em cerca de meia hora, antes do fechamento. Normalmente 42 mil barris de petróleo fluem pelo duto por dia, segundo o jornal The Billings Gazette.

O presidente da empresa responsável pelo duto Gary Pruessing, disse que o duto foi fechado seis minutos após se perceber a mudança de pressão, porém que um período mais longo foi necessário para entender exatamente onde o problema aconteceu.

(Instituto CarbonoBrasil)