Destruição da floresta tropical na Indonésia

Exploração de óleo de palma na Indonésia provoca destruição de milhares de hectares de floresta tropical .

 

O óleo de palma é hoje em dia a principal fonte usada na produção de biocombústivel , e uma das matérias – primas de númerosos produtos alimentares , de cosmética e de higiene ( tais como sabontes e detergentes ) , tal deve-se em parte ao seu baixo custo para as empresas fabricantes destes produtos .

Os principais exploradores de óleo são a Sinar Mas com 1.65 milhões de hectares de plantações de palma e a ADM-Kuok-Wilmar com 493 mil hectares plantados (e vendas para o exterior na ordem de um milhão de toneladas de óleo ), entre outras empresas.

Esta produção em tão grande escala desencadeada pela grande procura desta matéria , promove o desmatamento por queimadas e derrube de vastas áreas de floresta para abrir espaço para novas plantações de palmeiras . A Sinar Mas planeia que nos próximos anos mais 20 mil hectares de palmeiras sejam plantadas privando de vida animal e pessoas mais esta grande parcela de terreno.

Kalimantan Indonesia

Foto de floresta recém queimada para dar lugar a plantações de óleo de palma e de arroz:

  • Só nos últimos 50 anos , mais de 74 milhões de hectares de floresta índonésia foram cortados , queimados, completamente destruídos.
  • Tudo isto torna a Indonésia no 3º maior produtor de gases de estufa devido ás queimadas e ao CO2 que se liberta do solo (quando o derrube de árvores chega ás florestas de pântano que crescem sobre turfa , o solo é drenado , a turfa seca e oxida -se libertando todo o CO2 que havia captado ).
  • Apesar deste artigo mencionar primariamente a Índonésia , este problema é global , existindo mais locais onde se repete o problema , sendo um deles a floresta Amazônica, (o grande pulmão da Humanidade ).

Todos os anos , 1.8 biliões de toneladas de gases de estufa são libertados agravando ainda mais a já precária situação da nossa camada de ozono. Tendo em conta que a ideia do biocombústivel era , justamente, reduzir essas emissões , no fim virou apenas mais um problema, em vez de solução .

A meta da União Europeia de que o biodiesel represente 5.75% do combústivel usado nos transportes até 2010 revela-se pois no minímo inadequada face á situação actual. Ambientalistas de todo o mundo clamam para que se desista dessas metas pelo menos até que a situação se torne de alguma maneira sustentável.

De igual modo , o desmatamento derivado ao comércio ilegal de madeiras tropicais , é mais um negócio lucrativo , a seguir ao do óleo de palma .- Como resultado , toda a biodiversidade sofre repercussões , seja pela extinção de espécies animais ou vegetais , ou pelo desaparecimento de habitats essenciais á sua sobrevivência . Uma dessas espécies, o Orangotango de Sumatra , está agora ameaçado de extinção .

Também os habitantes destes locais são gravemente afectados , principalmente agricultores ( que vêem as suas terras roubadas e o seu sustento desaparecer ) , e as tribos que habitavam em perfeita comunhão com esta floresta e dela retiravam só o essencial para a sua sobrevivência , estão agora abandonadas á sua “sorte” .

  • Enquanto consumidores devemos pelo menos ter consciência que o grau de procura desta matéria – prima por parte do mundo ocidental não facilita em nada esta problemática situação e que todos nós temos nas nossas casas produtos que a utilizam por ser um ingrediente de uso tão generalizado .
  • Hoje em dia se olharmos para um rótulo de champô , pasta de dentes ou de qualquer detergente da maioria das marcas que usamos em nossas casas , todos eles têm óleo de palma como ingrediente . Então que fazer ? É claro que todos sabemos que passa por tentar reduzir o gasto desses produtos , lendo bem os rótulos das embalagens , mas também sabemos que a falta de opcções que nos é dada , em nada ajuda este problema .
  • Cabe tanto ás empresas exploradoras , uma maior percepção face a estas repercussôes ; como ás grandes empresas líderes de mercado que usam o óleo de palma para o fabrico dos vários produtos , a exigência de medidas mais sustentáveis para o futuro . Penso que é primeiramente neles , que assenta a pesada responsabilidade de tentar emendar ou remediar de algum modo o que foi feito até agora . Seja através utilização de novos produtos mais “amigos do ambiente ” , que venham substituir a necessidade desenfreada desta matéria -prima , ou até mesmo do reflorestamento por espécies endémicas , de maneira a travar um pouco este … eminente declínio ambiental .
  • No que toca á produção de biocombústivel só as entidades competentes poderão inverter este percurso , quem sabe pelo uso de matérias alternativas que já existem no mercado .

 

Fotos: Greenpeace.org

Fonte: Lana-Paletas de Cores