Os vencedores do Concurso Coral Vivo de Foto Sub

No final de semana chuvoso, de 21 a 23 de março, no Recife de Fora, em Porto Seguro (BA), os 20 fotógrafos e suas duplas tiveram as águas turvas como desafio para apresentar técnica e olhar artístico no Concurso Coral Vivo de Foto Sub. A dupla Luiz Fernando Cassino e Roberta Decnop se destacou com duas medalhas de ouro e uma medalha de prata, pelo júri técnico, conquistando o troféu de Primeiro Lugar Geral na divisão principal: DSLR/Mirrorless. Paralelamente, foi realizado concurso cultural nas redes sociais do Projeto Coral Vivo para saber quem levaria o troféu Melhor Fotografia Via Público.

Foram 7.503 votos computados, no total, para vinte fotos. Eles também venceram, conquistando 705 votos com a imagem de colônias de coral-cérebro (Mussismilia harttii) cercada de rica biodiversidade marinha e a passagem de um cardume de cocorocas (Haemulon aurolineatum). Endêmica do Brasil e ameaçada de extinção em categoria vulnerável, as colônias dessa espécie apresentam áreas com branqueamento, por conta das águas mais aquecidas deste ano de El Niño.

Aliás, foi com a Categoria Temática Branqueamento que a dupla ganhou medalha de ouro pelo júri técnico. Colônias de coral-de-fogo (Millepora alcicornis) com as pontas branqueadas foram registradas em primeiro plano com o peixe budião-puxê (Halichoeres poeyi). A outra medalha de ouro de Luiz e Roberta foi conquistada na Categoria Close-Up, apresentando a estrutura espiral do verme poliqueta árvore-de-natal (Spirobranchus giganteus) vista do topo. Eles ganharam medalha de prata na Categoria Peixe com o perfil de uma maria-da-toca (Parablennius marmoreus). O Concurso Coral Vivo de Foto Sub foi realizado pelos projetos patrocinados pela Petrobras, Coral Vivo e Meros do Brasil, e também pela Associação Brasileira de Imagens Subaquáticas (Abisub) e a Secretaria de Meio Ambiente de Porto Seguro. Cabe destacar que o Recife de Fora é uma unidade de conservação localizada numa das regiões de maior biodiversidade marinha do Atlântico Sul, sendo uma das áreas prioritárias do Plano de Ação Nacional para a Conservação dos Ambientes Coralíneos (PAN Corais).

Na Divisão DSLR/Mirrorless, em Segundo Lugar Geral ficou a dupla Álvaro Velloso e Cláudia Lomba, que ganhou medalha de prata na Categoria Grande-Angular, com fotografia que destaca colônia de coral Mussismilia harttii, e prata na Categoria Close-Up com o colorido de lírio-do-mar. Em Terceiro Lugar Geral, a dupla Marcelo Prim e Luiz Magina levou para casa ouro na Categoria Peixe com um neon-goby (Elacatinus figaro) em meio às reentrâncias do coral-vela (Mussismilia harttii), e bronze na Categoria Grande Angular com uma colônia de coral-de-fogo (Millepora alcicornis). A dupla Peu Guerbas e José Paulo ficou com o troféu de Quarto Lugar Geral, ganhando medalha de ouro na Categoria Grande Angular com uma paisagem recifal com destaque para uma colônia da gorgônia orelha-de-elefante  (Phyllogorgia dilatata) junto a uma gorgônia (Plexaurella grandiflora). O troféu de Quinto Lugar Geral foi para a dupla Cleber Assumpção e Eduardo Resende, que conquistou a medalha de bronze na Categoria Close-Up com o búzio (Cyphoma macumba).

O troféu de Primeiro Lugar Geral na Divisão Compacta foi para a dupla Fernanda Saldanha e Marcia Tancredi. Elas conquistaram medalha de ouro na Categoria Close-Up com a imagem de um polvo, e duas medalhas de bronze. Uma na Categoria Grande Angular com uma paisagem recifal com destaque para uma lagosta, e outra na Categoria Temática com uma lente especial em colônia branqueada de coral-vela (Mussismilia harttii).

“Com esse Concurso que incluímos no atual contrato com a Petrobras, conseguimos reunir os principais nomes da fotografia subaquática do Brasil para registrar o Parque Municipal do Recife de Fora, onde realizamos as pesquisas junto a 14 universidades e institutos de pesquisa”, destaca a bióloga Débora Pires, que é coordenadora de Comunicação e Sensibilização do Coral Vivo, que é patrocinado pela Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental. Para o coordenador do Concurso Coral Vivo de Foto Sub, Áthila Bertoncini, a fotografia documental é uma importante ferramenta para a conservação ambiental, porque sensibiliza podendo gerar mudança em valores e atitudes. “Na busca pelas imagens que melhor representem o branqueamento de corais neste ano de El Niño, os fotógrafos contribuíram para a pesquisa e a divulgação científica, atuando também como cientistas cidadãos”, avalia Bertoncini, que é bi-campeão de foto sub e coordenador do Programa de Foto-Identificação do Projeto Meros do Brasil. Uma seleção de fotografias desse concurso estará em e-book informativo, que está sendo produzido para estar disponível gratuitamente na seção Publicações do site www.coralvivo.org.br.

O que é branqueamento de corais?

Uma das principais causas do branqueamento é o aumento de temperatura da água do mar. Em anos de ocorrência do fenômeno climático El Niño as águas do mar ficam ainda mais aquecidas. Esse estresse gera a expulsão das microalgas simbiontes – chamadas de zooxantelas – do interior do coral. São elas que dão cor ao tecido quase transparente do coral, que tem o esqueleto calcário branco, assim como os ossos de humanos. Quanto mais intenso e duradouro for o evento estressante, maior é a chance da colônia de coral adoecer e morrer, porque dependem dessas microalgas para viver. Cabe destacar que os recifes de coral são ambientes frágeis, que abrigam rica biodiversidade marinha, podendo ser comparados às florestas tropicais para a manutenção da vida na Terra.

Sobre o Recife de Fora em Porto Seguro

A Secretaria de Meio Ambiente de Porto Seguro (BA) é o órgão gestor do Parque Natural Municipal do Recife de Fora. Ele foi criado em 1997, tem 17,5km², e fica a 5 milhas náuticas da costa. Essa unidade de conservação tem visitação diária limitada a 400 pessoas em trecho específico, tendo o restante da área protegida.

Sobre a Abisub

A Associação Brasileira de Imagens Subaquáticas (Abisub) tem como proposta integrar fotógrafos de todo país promovendo eventos estaduais e nacionais de fotografia e videografia subaquática com intuito de compartilhar experiências e conhecimento entre fotógrafos de vários níveis de habilidades, dos mais experientes aos que querem iniciar no universo das imagens subaquáticas.

Sobre o Projeto Coral Vivo

O Projeto Coral Vivo trabalha com pesquisa, educação, políticas públicas, comunicação e sensibilização para a conservação e sustentabilidade socioambiental dos ambientes coralíneos do Brasil. É realizado por 14 universidades e institutos de pesquisa, e é o coordenador executivo do PAN Corais, que engloba 18 áreas do MA a SC e 52 espécies ameaçadas de extinção: peixes e invertebrados. Tem base e centro de visitantes no Arraial d’Ajuda Eco Parque,em Porto Seguro (BA). O Coral Vivo integra a Rede Biomar, junto com os projetos Albatroz, Baleia Jubarte, Golfinho Rotador e Tamar, patrocinados pela Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental. O Coral Vivo tem o co-patrocínio do Arraial d’Ajuda Eco Parque, e contou com o apoio do Arraial d’Ajuda Eco Resort durante o Concurso Coral Vivo de Foto Sub.

Sobre o Projeto Meros do Brasil

O Projeto Meros do Brasil atua em âmbito nacional para a conservação dos meros (Epinephelusitajara) e dos ambientes marinhos e costeiros associados. O Projeto desenvolve ações de pesquisa, educação e comunicação ambiental por meio de uma rede de colaboração que envolve 60 instituições governamentais, ONGs e a sociedade civil. É patrocinado pela Petrobras e está presente em nove estados brasileiros: Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, Alagoas, Pernambuco e Pará. Atualmente, os meros são tidos como um símbolo de conservação e proteção marinha no país.

http://envolverde.cartacapital.com.br/os-vencedores-do-concurso-coral-vivo-de-foto-sub/