Espécie de macaco recém-descoberta já corre risco de extinção

A nova espécie, que existe apenas no município de Alta Floresta (MT), foi descrita em pesquisa lançada em janeiro e está ameaçada pela perda de habitat

Coloração amarela clara no cabelo das bochechas, contrastando com o cabelo castanho avermelhado brilhante nas laterais do rosto, coroa cinza e barriga vermelho-marrom brilhante. Assim é descrita a nova espécie de macaco da família Callicebinae, popularmente conhecida como Titi, no artigo científico publicado na revista Science Direct em janeiro deste ano.

Nova espécie faz parte do gênero Callicebus, como o da foto, mas possui características morfológicas únicas. © Valdemir Cunha / Greenpeace

A espécie, batizada de Plecturocebus Byrne, é encontrada apenas no município de Alta Floresta, no Mato Grosso, e, infelizmente, já foi classificada como criticamente ameaçada. A classificação é a última na escala da lista vermelha de espécies ameaçadas da International Union for Conservation of Nature’s (IUCN) antes que uma espécie seja definitivamente considerada extinta na natureza.

De acordo com o artigo, a principal ameaça para a espécie é a perda de seu habitat. Os pesquisadores estimam que em 24 anos 86% de seu habitat natural terá sido destruído, caso o desmatamento não pare de avançar na região

A cidade de Alta Floresta fica no norte do Mato Grosso e é famosa por dois motivos: por ser a porta de entrada de um dos mais cobiçados destinos de pesca esportiva do país e por sua produção pecuarista.

http://envolverde.cartacapital.com.br/especie-de-macaco-recem-descoberta-ja-corre-risco-de-extincao/