Fábrica de móveis na Amazônia ajuda a preservar floresta

Fábrica moveleira, instalada no final de março na região metropolitana de Santarém (PA), foi estruturada com investimento social de R$ 447 mil por meio de parceria entre a Fundação Banco do Brasil e o Fundo Amazônia – gerido pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Com a estruturação da unidade será ampliado o reaproveitamento da madeira extraída na Unidade de Conservação da Floresta Nacional do Tapajós.

A movelaria da Cooperativa Mista da Flona do Tapajós (Coomflona) utiliza matéria prima, extraída via manejo florestal comunitário, em conformidade com a avaliação do Instituto Chico Mendes de Conservação e Biodiversidade (ICMBio). Esse projeto foi selecionado por meio do edital Ecoforte Extrativismo, que tem o objetivo de reduzir o desmatamento, manter a sociobiodiversidade e gerar renda para as populações tradicionais.

Graças ao aproveitamento de galhos de árvores, será possível a diminuição dos impactos ambientais na floresta. Um estudo desenvolvido por pesquisadores da Universidade do Oeste do Pará (Ufopa) elaborou novo método de quantificação, extração e beneficiamento dos ramos para utilização no setor moveleiro, garantindo a extração sustentável da madeira na reserva.

O projeto firmado entre a Cooperativa Mista da Flona do Tapajós (Coomflona) e a Fundação Banco do Brasil possibilitou a compra de um caminhão baú, maquinário e equipamentos para estruturação da unidade produtiva de móveis. O veículo, as máquinas e os equipamentos proporcionarão a ampliação da capacidade produtiva e redução dos custos operacionais. A fábrica funciona em um galpão de 250 metros quadrados com 10 máquinas, que beneficiam a madeira na construção do mobiliário sustentável.

Madeira Certificada
O engenheiro ambiental Ângelo Ricardo Sousa, responsável técnico do projeto, afirmou que um dos desafios da cooperativa é a competição com os móveis produzidos a partir de madeira ilegal. A fábrica da Coomflona utiliza somente madeira certificada pela FSC – Forest Stewardship Council, reconhecimento internacional de produtos madeireiros e não madeireiros resultantes de bom manejo florestal.

Além da preservação da floresta, outro benefício da utilização da madeira certificada é o apoio na divulgação dos produtos beneficiados. O engenheiro destacou que tanto a FSC Brasil, como outros parceiros locais se empenharão na promoção de vendas e propaganda dos móveis produzidos pelo projeto.

O mercado brasileiro de móveis ocupa atualmente o quinto lugar no ranking mundial posicionado atrás da China, Estados Unidos, Alemanha e Itália. A indústria moveleira nacional atingiu em 2015 o faturamento de R$ 35,74 bilhões, de acordo com publicação da Associação das Indústrias de Móveis do Estado do Rio Grande do Sul e dados do IEMI – Inteligência de Mercado. Grande parte da produção é feita em pequenas fábricas localizadas em 11 polos distribuídos no sul e sudeste brasileiro. Existem atualmente mais de 17 mil unidades produtivas destinadas à fabricação de móveis. (#Envolverde)

  • http://www.envolverde.com.br/1-1-canais/meio-ambiente/fabrica-de-moveis-na-amazonia-ajuda-preservar-floresta/
Print Friendly, PDF & Email