Uma vez por semana tirar a carne do cardápio produz menos gases de efeito estufa, sabia?

350.org Brasil

350.org Brasil

Uma alimentação vegetariana é mais sustentável para o meio ambiente e reduz as emissões de gases do efeito estufa?
Sim, é a resposta! Estudo aponta a alimentação como um colaborador significativo para o aquecimento global. A pesquisa foi feita por cientistas da Loma Linda University Medical Center e publicado no Journal of Clinical Nutrition.

Os cientistas analisaram os padrões alimentares de 73 mil participantes vegetarianos, semi-vegetarianos e de não-vegetarianos para medir e comparar as emissões de gases de efeito estudo e os índices de mortalidade.

A taxa de mortalidade para os não-vegetarianos era quase 20% maior do que para os vegetarianos e semi-vegetarianos. Ou seja, mesmo aqueles que não conseguem fazer uma mudança radical na alimentação podem viver mais, além de ajudar a reduzir as emissões de gases de efeito estufa.

As dietas vegetarianas resultam em quase 1/3 a menos de emissões em comparação com as dietas não-vegetarianas.
O estudo afirma que a produção de alimentos de origem animal para consumo humano provoca emissões significativas de gases de efeito estufa (coisa que sempre falamos por aqui).

Portanto, parar de consumir alimentos de origem animal pode ser uma ferramenta viável e eficaz para reduzir as mudanças climáticas e melhorar a saúde pública. Mesmo pequenas reduções no consumo de carne já trazem benefícios, como a Segunda Sem Carne.

#Vegetarianismo #GEE #GasDeEfeitoEstufa #MudancasClimaticas

Print Friendly, PDF & Email