Primeiro prédio ‘movido’ a algas brota na Alemanha

Painéis solares e geradores eólicos já estão sendo incorporados em novos edifícios ao redor do mundo para ajudar a reduzir o consumo de energia. Agora, já imaginou morar num edifício cuja energia é produzida por microalgas marinhas? Quem visitar aExposição Internacional da Construção, que acontece este mês em Hamburgo, na Alemanha, vai ter uma ideia melhor de como seria isso, ao se deparar com o Quociente Bio Inteligente, ou simplesmente BIQ.

O prédio de 15 apartamentos apresenta uma fachada composta por persianas formadas por microalgas marinhas que conseguem gerar energia através de processos bioquímicos. Além de produzir eletricidade, a solução tecnológica ajuda a manter agradável a temperatura interna do edifício, dispensado refrigeração artificial.

Fruto do trabalho da empresa de design Arup, em parceria com a firma de arquitetura austríaca Splitterwerk, o prédio verde autossuficiente em energia custou cerca de 5 milhões de euros e demorou um ano para ser construído. Ele servirá como planta piloto para testes sobre produção de energia renovável em edifícios urbanos.

Fonte: Exame.com

Primeiro prédio 'movido' a algas brota na Alemanha

Primeiro prédio ‘movido’ a algas brota na Alemanha

PrintFriendly and PDF