Pólen de florestas tropicais pode ajudar a prever mudanças climáticas

Uma pesquisa desenvolvida pelo bolsista de doutorado do programa Ciência sem Fronteiras (CsF), na Universidade de Edimburgo, na Escócia, Antonio Alvaro Buso Junior revelou como o pólen presente na floresta tropical brasileira pode ajudar a prever mudanças climáticas no futuro.

O estudo reforça a necessidade de proteção das áreas ambientais da Mata Atlântica, além de indicar o comportamento do meio ambiente no local ao longo dos anos. Foram analisados mais de 140 tipos de pólen de árvores e ervas da Reserva Natural Vale, localizada na Floresta Atlântica de Linhares, no Espírito Santo.

Os resultados indicam as diferenças sazonais, com verões chuvosos e invernos secos, nos últimos 7 mil anos. Os dados podem ser usados para prever a reação das florestas, plantas e espécies raras que habitam o local. “Eu espero que nós possamos agora mostrar o resultado deste estudo no intuito de que estes ecossistemas preciosos recebam maior proteção”, ressalta Antonio.

O bolsista é aluno de doutorado na Universidade de São Paulo (USP). A equipe do Centro de Energia Nuclear na Agricultura (Cena) da instituição de ensino superior também participa da pesquisa.

(Instituto Carbono Brasil)

Fonte: http://www.institutocarbonobrasil.org.br/noticias2/noticia=735910

PrintFriendly and PDF