Dez países fundam o Clube de Renováveis

Em uma iniciativa do governo alemão, foi criado no dia primeiro de junho o Clube de Renováveis (Renewables Club), que promete ser uma ferramenta política para incentivar o desenvolvimento de fontes alternativas de energia.

Além da Alemanha, a entidade reúne África do Sul, China, Dinamarca, Emirados Árabes Unidos, França, Índia, Marrocos, Reino Unido e Tonga. A Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA) também foi convidada para ser um membro fundador.

“Os membros do clube têm como obrigação liderar pelo exemplo. Essa é uma iniciativa política de países pioneiros que estão unidos com um importante objetivo: a transformação mundial do sistema de energia”, afirmou Peter Altmaier, ministro de Meio Ambiente da Alemanha.

O clube está preparando para a próxima Conferência do Clima (COP19), na Polônia, em novembro, uma apresentação conjunta sobre as vantagens das fontes limpas de energia e como elas podem contribuir para a mitigação das mudanças climáticas.

“Estamos convencidos de que as energias renováveis são uma parte essencial para a solução dos desafios existenciais que estamos encarando e são um caminho para a sustentabilidade. Destacamos que as energias renováveis entraram em um ciclo virtuoso de queda de custos, expansão de implementação e acelerado progresso tecnológico. Tecnologias renováveis representam uma escolha econômica em um número cada vez maior de países”, afirma o primeiro comunicado da entidade.

Depois da COP19, o clube deverá se reunir em janeiro de 2014 nos Emirados Árabes Unidos.

(Instituto Carbono Brasil)

Dez países fundam o Clube de Renováveis

PrintFriendly and PDF