China e Estados Unidos devem aprofundar cooperação climática

Talvez o maior avanço nesta semana em termos de soluções para lidar com as mudanças climáticas não venha de Bonn, na Alemanha, onde está sendo realizada uma rodada de negociações sob a Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças do Clima (UNFCCC), e sim da Califórnia, onde os presidentes da China, Xi Jinping, e dos Estados Unidos, Barack Obama, se reunirão.

Em abril, o Secretário de Estado dos EUA, John Kerry, esteve em Pequim e formalizou a criação de esforços conjuntos dos dois países para minimizar os efeitos do aquecimento global.

Agora, em reuniões preliminares ao encontro dos dois chefes de Estado, os negociadores climáticos da China e dos EUA, Xie Zhenhua e Todd Stern, estão detalhando como essa cooperação poderá ser realizada, tendo sido inclusive criado um grupo de trabalho com esse objetivo.

“As mudanças climáticas se tornaram um novo destaque na nossa relação bilateral. O estabelecimento desse grupo de trabalho mostra que realmente damos muita importância para essa questão”, declarou Zhenhua.

“Ações de cooperação entre China e Estados Unidos são mais necessárias do que nunca. Tais ações serão boas não apenas para nossos países, como também para todo o planeta”, completou Stern.

Na semana passada, a presidente da UNFCCC, Christiana Figueres, afirmou que os dois países estavam negociando também a ligação entre o mercado de carbono da Califórnia e o Chinês, planejado para entrar em funcionamento em 2016.

Ainda não há sinais claros de que isso venha mesmo a ser anunciado no encontro desta semana, mas o Air Resources Board (ARB), que controla o mercado californiano, já manifestou anteriormente que tem o interesse de promover o intercâmbio com a ferramenta chinesa.

Obama e Xi Jinping se reunirão na próxima quinta (6) e sexta-feira (7).

(Instituto Carbono Brasil)

China e Estados Unidos devem aprofundar cooperação climática

PrintFriendly and PDF