Cariocas produzem óculos de luxo com madeira que vem do lixo

Um grupo formado por estudantes de design da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro apostou na madeira descartada como matéria-prima para a fabricação de óculos de luxo. O material é coletado pelas ruas do Rio e ganha uma nova utilidade.

Apelidados de Zerezes, os óculos mesclam uma alternativa ecologicamente correta para a fabricação de novos produtos com um olhar diferenciado sobre a capital fluminense e os itens que, por vezes, acabam de tornando parte da cidade.

Em entrevista concedida ao jornal O Globo, os jovens designers explicam que o projeto modificou a forma como veem o Rio de Janeiro. Hoje, eles sempre estão atentos às caçambas espalhadas por diferentes bairros à procura de boa madeira.

Mesmo sendo itens que seriam descartados, os pedaços de madeira coletados do lixo se tornam artigos caros. Para que isso fosse possível, eles contaram com o apoio da empresa Matéria Brasil, que possibilitou um aumento expressivo na produção. Assim, os pedaços de madeira passam por uma série de maquinários, até se tornarem placas cortadas e coladas na forma dos óculos.

O lixo reserva excelentes matérias-primas. É comum o grupo encontrar sucupira, ipê, pinho de riga, jacarandá, peroba, entre outras espécies de madeira. Para promover ainda mais a sustentabilidade, os designers criaram um “selo de origem”. Assim sendo, os óculos feitos com a madeira do lixo, sempre têm em suas hastes o nome da rua em que o material foi encontrado.

Atualmente a empresa comercializa sua linha de óculos em lojas de marcas que carregam o mesmo conceito de inovação e moda, entre elas estão: Farm, Coletor, Novo Desenho, Addict, entre outras. A coleção também está disponível através da página da Zerezes no Facebook. O preço médio dos óculos completos é de R$ 395.

 Fonte: Ciclo Vivo

Cariocas produzem óculos de luxo com madeira que vem do lixo

Cariocas produzem óculos de luxo com madeira que vem do lixo

PrintFriendly and PDF