Biblioteca Pública do Rio ganha usina de energia solar

Uma pequena usina geradora de energia solar foi implantada na Biblioteca Pública do Rio, reduzindo em 30% a conta de luz. Agora, essa biblioteca é o primeiro espaço cultural na América Latina a ser abastecido com este tipo de energia.

A usina é composta por 162 placas que absorvem a energia solar, apoiadas em uma estrutura fixada na cobertura da biblioteca, além de seis dispositivos que convertem a energia solar em elétrica para ser usada no sistema interno.

Com a usina, pretende-se garantir eficiência energética à biblioteca, que desde 2008 passa por obras se tornar mais moderna e sustentável. O objetivo é tornar a biblioteca a primeira da América Latina a ganhar o Selo Ouro, a mais alta certificação dada peloSistema Leed, sigla em inglês que significa “liderança em energia e design ambiental”. (Leia também: Certificação Leed: tudo sobre o principal selo de construção sustentável no Brasil).

Em nota, a Secretaria de Cultura informou que o governo estadual pretende ampliar oprograma de bibliotecas sustentáveis. O projeto foi viabilizado pela companhia de energia Ligth, por meio do Programa Rio Capital da Energia, com custo de R$ 585 mil.

Além da usina, outras medidas estão sendo adotadas para transformar a biblioteca em um local sustentável, como instalação de sistemas de reuso de água pluvialtelhado verde e torneiras com fechamento automático.

Fonte: Agência Brasil

Biblioteca Pública do Rio ganha usina de energia solar

Biblioteca Pública do Rio ganha usina de energia solar

PrintFriendly and PDF