Alemanha fecha usinas nucleares e produção de energia limpa sobe 23%

Após o acidente nuclear de Fukushima, muitos países decidiram repensar suas matrizes energéticas. A Alemanha está entre os que anunciaram o fechamento de suas usinas nucleares. Em troca disso, a nação alcançou crescimento de 23% em energia renovável.

Os alemães anunciaram em 2011 o compromisso em fechar as 22 usinas nucleares em atividade no país. Desde então, o trabalho tem sido feito gradualmente. Até o momento, oito usinas já foram desativadas e a previsão é de que até 2022 todas estejam fora de uso.

Para suprir a demanda, o país passou a optar por alternativas sustentáveis. A energia gerada através de fontes consideradas limpas ajudou a Alemanha a manter seus padrões de produção e ainda rendeu lucros de 1,4 bilhão de euros aos cofres do país.

Um dos exemplos da estratégia bem sucedida é o investimento em energia solar. Nos últimos dois anos o país recebeu 1,3 milhão de sistemas fotovoltaicos, que geraram energia para abastecer oito milhões de casas em 2012.

A relação entre energia exportada e importada também teve saldo positivo, com os melhores índices desde 2008. Conforme informações de agências locais, foram exportados 66,6 TWh (terawatts/hora), enquanto as importações não chegaram a 44 TWh.

Mesmo que o país tenha alcançado níveis extraordinários, a energia na Alemanha ainda é bastante poluente devido à dependência do carvão para a produção de eletricidade. Além disso, as mudanças no sistema geraram aumento de 47% nos custos pela energia encaminhados diretamente ao consumidor final.

* Com informações da Deutche Welle.

(CicloVivo)

Alemanha fecha usinas nucleares e produção de energia limpa sobe 23%

Alemanha fecha usinas nucleares e produção de energia limpa sobe 23%

PrintFriendly and PDF