Sistema de aquecimento solar em hotel de SP gera economia e redução de CO2

Situado próximo a Ponte Estaiada, um dos cartões postais de São Paulo, o Novotel Morumbi registrou uma redução de 80% dos gastos com eletricidade, água e gás (R$ 71 mil por ano), além de evitar a emissão de 124 toneladas de CO2 desde que passou a implantar um sistema de aquecimento solar.

Em 2009, o hotel quatro estrelas pertencente ao grupo Accor passou a aproveitar a radiação proveniente do sol para aquecer a água utilizada em suas dependências, atendendo a cinco mil hóspedes mensalmente. Antes disso, o empreendimento utilizava aquecedores a gás GLP.

paineis-t.jpg
Foram utilizados 93 painéis solares, que cobrem uma área de 149 m² da face norte do telhado do prédio

A transição do sistema antigo para o novo demorou 90 dias e aconteceu com o hotel em pleno funcionamento, porém, não causou transtornos aos hóspedes. “Em momento algum houve interrupção do fornecimento de água. Apenas quando estava 100% implantado, o aquecedor solar foi interligado à rede de distribuição”, explicou o chefe da manutenção e segurança do Novotel Morumbi, Wellington Fagundes dos Santos.

O funcionamento da nova tecnologia escolhida pelo hotel consiste em coletores que utilizam a energia solar para o pré-aquecimento da água, que posteriormente é enviada a reservatórios. Quando utilizada pelos usuários, a água passa pelas bombas de calor.

Desde a implantação, monitoramos e estudamos o desempenho do aquecedor em busca do máximo de eficiência possível”
Wellington dos Santos, chefe da manutenção e segurança

Para atender toda a demanda dos 190 quartos foram utilizados 93 painéis solares, que cobrem uma área de 149 m² da face norte do telhado do prédio. No andar logo abaixo, ficam o reservatório de 12 mil litros, cinco bombas de calor e um sistema de controle.

Para adquirir a solução ecoeficiente, foram investidos R$ 240 mil. Além do retorno financeiro, a não agressão ao meio ambiente pesou no momento da escolha da tecnologia solar.

“O sistema já atendeu nossas expectativas. Desde a implantação, monitoramos e estudamos o desempenho do aquecedor em busca do máximo de eficiência possível”, destacou Fagundes.

O empreendimento enfatizou que, para receber os jogos da Copa do Mundo de 2014, as cidades-sede brasileiras precisam melhorar não somente os estádios, mas também a infraestrutura, o que inclui a rede hoteleira.

“O evento é uma oportunidade que os hotéis têm para modernizar suas instalações e oferecer maior conforto aos hóspedes, melhor ainda se forem adotadas soluções sustentáveis e com redução de custos.”

Fonte: EcoD

FanPage AmbientalSustentávelCurta nossa página do facebook
Fachada do Novotel, em São Paulo. Fotos: Divulgação

Fachada do Novotel, em São Paulo. Fotos: Divulgação

Print Friendly, PDF & Email