Sem combustível, bombeiros deixam de combater fogo em área de preservação

Na noite de quarta-feira um técnico da Secretaria Municipal de Gestão Ambiental flagrou um incêndio que já havia atingido aproximadamente 200 metros e chegado até uma área de preservação ambiental às margens da BR-174, ao norte de Roraima. As informações são do jornal Folha de Boa Vista.
 
O técnico acionou o Corpo de Bombeiro, por volta das 19 horas, e na ocasião foi informado que por contenção de combustível, as chamas só poderiam ser apagadas pelo Corpo de Bombeiros se representassem risco às residências ou de alguma forma, colocasse a população em risco.
 
Além desse incêndio, populares reclamam que solicitações de atendimento a ocorrências de incêndios urbanos não estariam sendo atendidas há vários dias.
 
Neste período de estiagem, a maior preocupação é na área urbana onde há maior registro de queimadas, principalmente em terrenos baldios. No início da manhã de ontem, antes das 6h, quem passou pela região da divisa entre os bairros dos Estados e Paraviana, pôde observar que um terreno institucional na região havia sido atingido por uma queimada. Não fosse a chuva fina que caiu na manhã de ontem, as chamas continuariam, pois o Corpo de Bombeiros também não pôde comparecer ao local.
 
A corporação confirmou a falta de combustível, e justificou que por isso foi necessário priorizar o abastecimento à ambulância. Os outros três veículos, incluindo dois de combate a incêndio, permaneceram desabastecidos na manhã de ontem. No início da tarde, antes do incêndio no bairro Cauamé, a informação foi de que o problema havia sido resolvido, pois os veículos da corporação haviam sido abastecidos com combustível previamente reservado pela própria corporação.
 
A assessoria de imprensa do Governo de Roraima repassou comunicado emitido pelo Gabinete Civil, de que a informação de desabastecimento seria improcedente, pois todos os veículos tanto do Corpo de Bombeiros quanto de toda a secretaria de Segurança Pública teriam sido abastecidos normalmente para as atividades do dia. O setor frisou que, no caso de um possível desabastecimento, o problema não afetaria a corporação por se tratar de uma das prioridades do governo.

Fonte: Instituto Carbono Brasil

Print Friendly, PDF & Email