Saiba mais: novas regras de ar limpo da EPA

A Agência de Proteção Ambiental (EPA) dos EUA está lançando suas mais ambiciosas regras de ar limpo em décadas, embora esteja fazendo algumas concessões a Republicanos que se opõem a elas.

A EPA, que enfrenta a reação da indústria pesada, adiou muitas das regras e fez ajustes em outras. Alguns grupos industriais dizem que as regras custarão às companhias bilhões de dólares e aumentarão as contas de energia para os consumidores.

Até agora, o maior adiamento nas regras foi o recuo do presidente Barack Obama em setembro sobre a poluição de smog (nevoeiro com fumaça) do ar, o que foi uma decepção para a administradora da EPA Lisa Jackson.

Abaixo estão dados importantes para as regras de ar limpo:

2011:

* REGRA DE POLUIÇÃO DO AR INTERESTADUAL

Finalizada pela EPA em julho, essa regra visa reduzir a poluição do ar levada pelo vento das usinas de energia alimentadas por carvão no leste dos Estados Unidos. Dois dias antes de entrar em vigor, uma corte federal de apelação dos EUA adiou a implementação até nova revisão, depois que produtores de energia reclamaram do prazo. A primeira fase da regulamentação estava estabelecida para começar em 1º de janeiro de 2012, e a segunda, dois anos depois.

* EFICIÊNCIA VEICULAR

A EPA e o Departamento de Transportes lançaram em dezembro um plano para dobrar a eficiência do combustível de automóveis para 23,7 quilômetros por litro até 2025. Reguladores esperam finalizar a proposta até a metade do ano, seguida por um período de 60 dias para comentários. As regras, que irritaram alguns Republicanos no Congresso, começariam a entrar em vigor em 2017. Os padrões atuais exigem que as montadoras aumentem a eficiência de suas frotas dos atuais 11,7 KPL para 15,3 KPL até 2016.

* MERCÚRIO E POLUENTES TÓXICOS DE USINAS DE ENERGIA

A EPA finalizou regras destinadas a cortar o mercúrio e outros poluentes tóxicos das usinas de energia em dezembro. A operadora de rede do Meio-Oeste dos EUA disse que essa é a regulamentação de ar que fecharia a maioria das usinas de energia alimentadas por carvão.

2012:

* LIMITES DE GASES DO EFEITO ESTUFA EM USINAS DE ENERGIA

Gina McCarthy, da EPA, afirmou que a agência implantaria, até o final de janeiro, limites nas emissões de novas usinas de energia. McCarthy declarou que a agência não tem planos em curto prazo para publicar regras para usinas de energia e refinarias de petróleo que já estão em operação, e que liberam a maior parte das emissões. O lançamento do plano foi adiado duas vezes, em junho e em setembro.

* LIMITES DE GASES DO EFEITO ESTUFA EM REFINARIAS

A EPA anunciou nesta semana que perderia o prazo de metade de dezembro para implantar o primeiro limite de gases do efeito estufa em refinarias de petróleo. Uma fonte da EPA disse que a regra não será implantada até que a regulamentação das usinas de energia seja proposta.

* EMISSÕES DE FRACKING

Em outubro, a EPA adiou em um mês a finalização dos padrões de emissões de operações de fratura hidráulica, ou fracking. O período para comentário público terminou em 30 de novembro e a regra será finalizada em três de abril de 2012. As normas procuram cortar emissões de compostos orgânicos voláteis que contribuem para a formação de smog em cerca de 25% da indústria de petróleo e gás natural e em 95% dos poços de gás que usam a técnica de fracking.

* NÉVOA

A EPA planeja propor e finalizar até o segundo trimestre de 2012 uma regra para cortar a poluição, incluindo produtos químicos que formam smog e partículas, que criam uma névoa.

* CINZA DE CARVÃO

A EPA planeja determinar na metade do ano como regular a cinza de carvão, usada no setor de construção, mas que pode conter metais pesados e outros poluentes tóxicos. Em 2008, um muro de contenção maciço cedeu no Tenessi e uma análise da água do rio depois do desastre mostrou níveis elevados de poluentes que podem causar defeitos de nascença.

EPA DE 2013 EM DIANTE:

* EMISSÕES DE SMOG

Em setembro, o presidente Barack Obama recuou em limites ambiciosos da EPA sobre poluentes que causam smog, alegando um esforço para reduzir os fardos regulatórios para as empresas. A regra será agora analisada em 2013. Até lá, Jackson terá que cumprir uma regra de smog da era George W. Bush, regulamentação que ela uma vez classificou como legalmente insustentável.

Traduzido por Jéssica Lipinski
Leia o original (inglês)

Fonte: Instituto Carbono Brasil

 

Print Friendly, PDF & Email
Tags: , ,