Quase 4.500 pelicanos são encontrados mortos na costa do Peru

O governo peruano disse nesta semana que 4.450 aves, a maioria pelicanos, morreram na costa norte do país ao longo dos últimos meses.

Recentemente, a morte de quase 877 golfinhos
intrigou autoridades, biólogos e organizações não governamentais.

As praias do norte foram fechadas. Apenas os cientistas são permitidos no local. O governo alega que as mortes podem ter sido causadas pelo aumento da temperatura das águas do Pacífico causado pelo fenômeno climático El Niño.

O ministro do Ambiente do Peru, Gabriel Quijandria, diz que águas mais quentes podem causar um distúrbio nos estoques de alimento dessas espécies. O ministro ainda afirma que o problema “irá se extender por outras areas costeiras”

Quijandria disse ainda que apesar da autópsia dos golfinhos ainda não ter terminado, a contaminação por metais pesados ou a presença de infecções bacterianas não seriam as causas.

Mas ambientalistas não concordam com essa explicação. A ONG Orca (Organização Científica para Conservação dos Animais Aquáticos) afirma que a morte dos golfinhos foi causada pela exploração de petróleo na área. O grupo diz que os barulhos produzidos na operação tem impactado os animais.

Carlos Yaipen, representante da organização, disse que encontrou 30 espécimes mortos com problemas nos ouvidos e com órgãos danificados causados por uma descompressão.

O ministério da Saúde do Peru emitiu um alerta, pedindo que a população mantenha-se afastada das praias perto de Lima e da costa norte, até que a causa das mortes seja esclarecida.

Fonte: Folha.com

Governo do Peru tenta esclarecer morte de quase 4.500 aves, a maioria pelicanos, na costa norte do país

Governo do Peru tenta esclarecer morte de quase 4.500 aves, a maioria pelicanos, na costa norte do país

Print Friendly, PDF & Email