Projeto “Cidades para Pessoas” busca entrar na segunda fase

Percorrer cidades ao redor do mundo em busca de soluções urbanísticas para São Paulo e outras metrópoles do Brasil – é assim que a jornalista Natália Garcia define o Cidade para Pessoas. Criado em 2011, o projeto foi considerado o primeiro de cunho jornalístico a ser financiado pelo Crowndfunding, por meio da plataforma brasileira Catarse, e arrecadou R$ 25.785 – foram 285 colaboradores.

Agora, a jornalista pretende retomar a iniciativa e viajar por São Francisco (Califórnia), Nova York, Portland (Estados Unidos), Cidade do México e Barcelona. Para isso, Natália inscreveu o Cidade para Pessoas novamente no Catarse, em 20 de agosto, e tem 30 dias para bater a meta de R$ 15 mil para colocar o trabalho em prática.

Na primeira edição do projeto, a jornalista percorreu sete metrópoles: Copenhague, Amsterdan, Londres, Paris, Friburgo, Estrasburgo e Lyon. Lá, ela entrevistou “urbanistas, gestores públicos e pessoas ligadas ao movimento de colocar cidades nas mãos de pessoas” para conhecer as gestões mais sustentáveis.

Na volta ao Brasil, em novembro de 2011, Natália desfrutou do reconhecimento doe seu projeto: ministrou mais de 20 palestras pelo país. Além disso, o Cidade para Pessoas esteve presente na nona Bienal de Arquitetura e na matilha Cultural. A jornalista foi indicada para o Prêmio Cidadão Sustentável, na categoria Intervenções Urbanas e ganhou uma coluna semanal no portal Planeta Sustentável.

“Tudo isso tem ajudado a disseminar muito uma notícia que está mais do que na hora de se popularizar. O norte da administração pública e do planejamento das cidades tem que ser as pessoas”, enfatizou Natália.

O EcoD acompanhou a trajetória do Cidade para Pessoas, em sua primeira edição.

Fonte: EcoD

FanPage AmbientalSustentávelCurta nossa página do facebook
O projeto foi idealizado pela jornalista Natália Garcia em 2011. Imagem: Reprodução

O projeto foi idealizado pela jornalista Natália Garcia em 2011. Imagem: Reprodução

Print Friendly, PDF & Email