Pegada Ecológica – Síntese

 

pegada ecológica

pegada ecológica

 

A rápida expansão urbana, durante o último meio-século, mudou a característica do Planeta. As ações antrópicas têm sido imperativas em relação ao meio natural, levando o homem a enfrentar desafios sem precedentes no que se referem à capacidade limitada dos ecossistemas em sustentar o atual nível de consumo material e as atividades econômicas, juntamente com o crescimento populacional, causando consequências desastrosas ao meio ambiente.

Tais mudanças são têm causado a poluição do ar, água e solo, além da perda de terras férteis e cobertura vegetal, comprometendo a capacidade da natureza em regenerar-se. As mudanças induzidas pelo ser humano têm ocorrido muito rapidamente e são, geralmente, mais difíceis de serem revertidas. Quanto mais se acelera nossa exploração do meio ambiente, maior se torna a marca que deixamos na Terra.

Essas marcas são chamadas de Pegada Ecológica. Elas não podem ser consideradas uma medida exata e sim uma estimativa, que nos mostram até que ponto a nossa forma de viver está de acordo com a capacidade do planeta de oferecer, renovar seus recursos naturais e absorver os resíduos que geramos por muitos anos.

A pegada ecológica contrasta o consumo dos recursos pelas atividades humanas com a capacidade de suporte da natureza e mostra se seus impactos no ambiente global são sustentáveis à longo prazo.

O que compõe a Pegada Ecológica?

A Pegada Ecológica de um país, cidade ou pessoa, corresponde ao tamanho das áreas produtivas de terra e mar, necessárias para gerar produtos, bens e serviços que sustentam determinados estilos de vida. Em outras palavras, a Pegada Ecológica é uma forma de traduzir, em hectares (ha), a extensão de território que uma pessoa ou toda uma sociedade “utiliza”, em média, para se sustentar.

Para calcular as pegadas, é preciso estudar os vários tipos de territórios produtivos (agrícola, pastagens, oceanos, florestas, áreas construídas) e as diversas  formas de consumo (alimentação, habitação, energia, bens e serviços, transporte e outros). As tecnologias usadas, os tamanhos das populações e outros dados, também entraram na conta.

Cada tipo de consumo é convertido, por meio de tabelas específicas, em uma área medida em hectares. Além disso, é preciso incluir as áreas usadas para receber os detritos e resíduos gerados e reservar uma quantidade de terra e água para a própria natureza, ou seja, para os animais, plantas e ecossistemas onde vivem, garantindo a manutenção da biodiversidade.

A Pegada Ecológica calcula a pressão do ser humano sobre o planeta, medindo a rapidez com que consumimos recursos naturais e produzimos resíduos, em comparação à capacidade do planeta de absorver esses resíduos e gerar novos recursos.

Alguns fatores que influenciam no cálculo da pegada ecológica de um indivíduo:

1. Entre os alimentos que normalmente você consome, que quantidade é pré-preparada, embalada ou importada?

2. Com que frequência você consome produtos de origem animal (carne, peixe, ovos, laticínios)?

3. Você deixa luz, aparelhos de som, computadores ou televisão ligados quando não estão sendo utilizados?

4. Quantas vezes por semana, em média, você liga o ar condicionado em casa ou no trabalho?

5. Quanto tempo você leva, em média, tomando banho diariamente?

6. Hábitos ao escovar os dentes?

7. Sua atenção na aquisição de produtos durante as compras no supermercado;

8. Que eletrodomésticos você utiliza na sua casa?

9. Você considera, na sua escolha de compras de eletrodomésticos e lâmpadas, informações referentes à eficiência energética do produto (se o produto consome menos energia)?

  1. O que acontece com o lixo produzido na sua casa?
  2. Quantos habitantes moram em sua cidade?
  3. Quantas pessoas vivem na sua casa ou apartamento?
  4. Qual é a área da sua casa/apartamento?
  5. Qual o tipo de transporte que você mais utiliza?
  6. Por ano, quantas horas você gasta andando de avião?

Alguns fatores (ações) que influenciam na Pegada Ecológica:

Alimentação: O consumo de alimentos orgânicos ou naturais ajuda a diminuir o uso de agrotóxicos e o equilíbrio alimentar leva a uma exploração menos irracional dos recursos do planeta, reduzindo, em muitos aspectos, nossas pegadas. Também é importante procurar alimentos que contenham poucas embalagens e que respeitem as regras socioambientais de produção.

Consumo e descarte: Quanto mais consumimos, mais lixo produzimos. Os resíduos naturais, ou matéria orgânica, podem ser inteiramente absorvidos e reutilizados pela natureza, mas o tipo de resíduos que nossa civilização produz nos dias de hoje,  especialmente os plásticos, não pode ser eliminado da mesma forma. Eles levam milhares de anos para se desfazer no ambiente. É necessário separar o lixo seco (reciclável) e o úmido (orgânico). Parte do lixo seco pode ser encaminhada à reciclagem e o lixo orgânico, por sua vez, destinado à compostagem.

Transporte: A maioria dos meios de transporte que utilizamos em nosso cotidiano utiliza combustíveis fósseis, ou seja, não renováveis. Esta fonte energética que vem do petróleo, do carvão e do gás natural polui o ar. Este enorme problema agrava o aquecimento global e ocasiona o aumento de doenças respiratórias. Por isso, um transporte sustentável tem de utilizar eficazmente a energia, ou seja, transportar o máximo de carga possível gastando o mínimo de combustível. Daí a importância de se utilizar o transporte coletivo e oferecer carona sempre que possível. Andar de bicicleta e fazer pequenos trechos a pé, também ajuda a reduzir nossa pegada ecológica.

Ao longo do tempo, um país pode conseguir reduzir sua pegada ecológica e isso não implica prejuízos ao seu desenvolvimento socioeconômico. Para isto, é importante que sejam envidados esforços, pela população mundial, para que todos os seres humanos satisfaçam suas necessidades sem esquecer a importância da preservação do meio ambiente. É necessário mudar hábitos de consumo criar uma maior conscientização de atitudes que podem salvar nosso planeta.

Referências:

http://www.pegadaecologica.org.br/

http://www.wwf.org.br/wwf_brasil/pegada_ecologica/

http://www.cadernor.com.br

http://www.ecoeco.org.br/conteudo/publicacoes/encontros/

http://www.agrisustentavel.com/artigos/iso14001.html

http://www.ecossistemas.net

Centro Universitário de Brasília – Uniceub

ICPD – Instituto Ceub de Pesquisa e Desenvolvimento

Pós Graduação em Analise Ambiental e Desenvolvimento Sustentável

Aluna: Patricia Patriota

Maio de 2011

Print Friendly, PDF & Email