Necessidade de lucros em curto prazo desestimulam sustentabilidade em empresas

ma pesquisa patrocinada pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) entrevistou 642 executivos, ambientalistas e acadêmicos e descobriu que 88% deles culpam a pressão por resultados financeiros imediatos como a maior barreira para os esforços de sustentabilidade das empresas.

A falta de regulamentações apropriadas e o desconhecimento dos potenciais benefícios de práticas verdes também foram apontadas como obstáculos por 75% dos entrevistados. Já a pequena demanda dos consumidores por produtos e serviços de baixo carbono é vista como um problema por 56%.

“Esta pesquisa mostra que os governos devem fazer sua parte, buscando criar padrões e políticas para promover o uso sustentável dos recursos naturais. A Rio +20 em junho será uma boa oportunidade para isso”, afirmou Achim Steiner, diretor executivo do PNUMA.

Os resultados da pesquisa serão apresentados em um relatório do PNUMA sobre a economia verde que deve ser publicado ainda em 2012.

(Instituto CarbonoBrasil)

Necessidade de lucros em curto prazo desestimulam sustentabilidade em empresas

Necessidade de lucros em curto prazo desestimulam sustentabilidade em empresas

Print Friendly, PDF & Email