Mulheres protestam contra texto final da conferência

Com cartazes e lenços nas mãos, dezenas de mulheres protestaram na tarde desta terça-feira (19) no Riocentro contra o texto final da Rio+20 aprovado minutos antes pelas delegações.

A principal crítica do grupo de contato das mulheres é a retirada da expressão “direitos reprodutivos”, que designa a autonomia da mulher para decidir quando ter filhos, do documento. O texto finalizado pelo Brasil na madrugada de hoje fala apenas em “saúde reprodutiva”, que contempla apenas o direito de acesso a métodos de planejamento familiar.

A manifestação começou silenciosa e as primeiras mulheres que ousaram gritar palavras de ordem, foram silenciadas por um segurança. Elas então começaram a movimentar lenços no ar, em sinal de protesto. Mas não demorou muito para que o grupo aumentasse e percebesse que poderia fazer barulho ali, entre os principais pavilhões do Riocentro, sem ser reprimido novamente.

“Agora não é hora de ficar em silêncio. Ainda temos tempo de mudar isso”, disse a mexicana Lydia Durán, diretora-executiva da Associação para os Direitos das Mulheres em Desenvolvimento. “O documento é muito fraco não responde às necessidades da população e do planeta”, completou.

O Brasil cedeu à pressão do Vaticano, que teve o apoio de Chile, Honduras, Nicarágua, Egito, República Dominicana, Rússia e Costa Rica.

“É muito decepcionante o texto. O texto fala sobre ganância das grandes corporações e não sobre economia verde”, criticou a canadense Tereza Turner da ONG Friends of the Earth.

A indiana Ananya Dagupta, contudo, ainda tem esperança que haja mudanças no documento até o fim da cúpula. “É por isso que estamos aqui, para que ouçam nossa voz e mudem novamente o documento”, disse.

Fonte: Folha.com

Mulheres protestam contra texto final da conferência

Mulheres protestam contra texto final da conferência

Print Friendly, PDF & Email