Graça Foster nega despejo de resíduos tóxicos no Rio pela Petrobras

A presidente da Petrobras, Graça Foster, negou nesta terça-feira (11) que a empresa tenha despejado resíduos tóxicos da extração de petróleo de plataformas marítimas no Rio de Janeiro.

Foster disse que a estatal atende a “todas as resoluções” do Conama (Conselho Nacional de Meio Ambiente), com regras rígidas de preservação ambiental. “Estamos dentro das regras, não reconhecemos essa informação de que a Petrobras esteja infringindo as orientações do Conama e outras mais.”

A presidente disse que a empresa tem normas “tão exigentes como as regras para tratamento de água nos Estados Unidos e Europa”. “Desconhecemos que estejamos infringindo, não concordamos com essa informação.”

Reportagem da revista Época mostrou que a PF (Polícia Federal), por meio de inquérito da Divisão de Crimes Ambientais no Rio de Janeiro, vê indícios de que a empresa não respeita a legislação sobre o tratamento e o descarte da água tóxica –chamada de “água de produção” ou “água negra”–, que se mistura ao óleo prospectado nas unidades marítimas de produção.

As investigações teriam começado há dez meses, para apurar a suspeita de descarte de poluentes da Reduc (Refinaria de Duque de Caxias), a quarta maior da Petrobras.

COMBUSTÍVEIS

Foster não descartou o reajuste de combustíveis, mas reiterou que a empresa trabalha pela “convergência de preços”. “Não há data, dia e hora para aumento de combustível. Mas trabalhamos pela convergência. Não posso afirmar nem que sim, nem que não”.

A presidente da Petrobras participou hoje de audiência nas comissões de assuntos econômicos e infraestrutura do Senado.

Fonte: Folha.com

Graça Foster nega despejo de resíduos tóxicos no Rio pela Petrobras

Graça Foster nega despejo de resíduos tóxicos no Rio pela Petrobras

Print Friendly, PDF & Email