EUA concentram maior incidência de desastres climáticos no mundo

As mudanças climáticas contribuíram para um aumento de cinco vezes nos desastres naturais identificados na América do Norte, durante os últimos trinta anos. A informação é da maior seguradora do mundo, Munich Re, que também avaliou os eventos climáticos ocorridos na Ásia e Europa.

De acordo com o porta-voz da empresa, Peter Hoeppe, “em nenhum lugar do mundo o aumento no número de catástrofes naturais é mais evidente que na América do Norte”. Os prejuízos financeiros também são enormes. O furacão Katrina, por exemplo, que atingiu Nova Orleans em 2005, culminou em uma perda de US$ 62,2 bilhões.

Hoeppe explica que a mudança climática altera o calor, as secas, as chuvas e também é bem provável que afete a intensidade dos ciclones tropicais. “A visão de que os extremos climáticos estão se tornando mais frequentes e intensos em várias regiões, devido ao aquecimento global, está em consonância com as atuais descobertas científicas”, explicou.

No primeiro semestre deste ano, a seguradora registrou que 85% dos pedidos foram originados nos Estados Unidos, o prejuízo somado neste período foi de US$ 10 bilhões. A somatória global não foi muito superior, registrando US$ 12 bilhões.

Esta base de dados serviu para que a empresa concluísse que os acidentes frutos de eventos climáticos extremos têm acontecido com maior frequência na América do Norte, já que os gastos com a reconstrução pós-desastres se concentram mais nessa região. Com informações da Bloomberg.

Fonte: Mercado Ético

EUA concentram maior incidência de desastres climáticos no mundo

EUA concentram maior incidência de desastres climáticos no mundo

Print Friendly, PDF & Email