Crescimento das renováveis não será suficiente para limitar emissões, afirma BP

As emissões de gases do efeito estufa devem crescer 28% até 2030 mesmo com as fontes renováveis recebendo cada vez mais investimentos, acredita a gigante do setor de energia BP.

De acordo com o relatório BP Energy Outlook 2030, o consumo de eletricidade aumentará em 39% nos próximos 20 anos e mesmo com as renováveis esperando um crescimento anual de 8,2%, bem acima dos 0,7% projetados para o petróleo, a participação das fontes limpas na matriz mundial ainda será pequena.

“As renováveis crescerão rapidamente, mas partindo de uma base muito pequena. Mesmo com as políticas de ajuda, biocombustível, eólica, solar e geotermal juntas não deverão responder por mais de 6% da geração em 2030”, afirmou Bob Dudley, executivo da BP.

Entretanto, a BP ressalta a importância das renováveis para atender a crescente demanda.  De todo o novo consumo a partir de 2011, 34% será atendido por alguma fonte renovável de energia. O único combustível fóssil que chega perto dessa porcentagem é o gás natural, com 31%.

A BP acredita que a União Europeia deverá liderar o crescimento das renováveis até 2020, quando será ultrapassada pela China e pelos Estados Unidos. Além disso, daqui a dez anos os países que não fazem parte da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), como o Brasil, devem gerar mais energia limpa do que os membros da entidade.

Os países de fora da OCDE também serão os maiores responsáveis pelo crescimento da demanda por eletricidade, algo perto dos 96% até 2030.

O cenário da matriz energética mundial para 2030, segundo a BP, ficaria assim: Nuclear 6%, Renováveis 6,3%, Hidroelétrica 6,8%, Gás Natural 25,9%, Petróleo 27,2% e Carvão 27,7%.

Fonte: Instituto Carbono Brasil

Imagem: Energy Outlook 2030 / BP

Print Friendly, PDF & Email