Conselheira científica da União Europeia alerta para atrasos nas políticas climáticas

“A Europa não pode utilizar a crise econômica como uma desculpa para não agir contra as mudanças climáticas”, afirmou nesta segunda-feira (19) Anne Glover, a primeira cientista a ocupar o cargo criado em dezembro de 2011 de conselheiro científico da União Europeia.

Glover, que é bióloga molecular, declarou que os países estão deixando os problemas econômicos afetarem suas políticas climáticas e que o custo disso será ainda mais grave para as pessoas do que qualquer crise atual.

“É muito desapontador ver que as nações estão abandonando metas de redução de emissões porque estão passando por uma recessão. Não tenho dúvidas de que se não agirmos para mitigar as mudanças climáticas, atravessaremos um período horrível de conflitos e migrações”, afirmou.

Vários setores industriais europeus estão fazendo lobby contrários às políticas climáticas, das companhias aéreas aos produtores de alumínio.

“As empresas estão constantemente tentando ganhar tempo. Mas elas falham ao não perceber as oportunidades de lucro que uma economia verde traz”, disse Glover. “A maneira mais básica de pensamento para movimentar a economia é produzir mais coisas e induzir as pessoas a comprarem mais. Mas, isso não é uma linha lógica válida, porque temos que nos preocupar com a gestão de recursos que atualmente já estão ficando escassos”, completou.

“Precisamos pensar em caminhos alternativos, utilizando a ciência, a engenharia e tecnologias para vivermos melhor neste planeta. Acredito que este é o grande desafio dos seres humanos”, concluiu a cientista.

Autor: Fabiano Ávila   –   Fonte: Instituto CarbonoBrasil/Agências Internacionais

Print Friendly, PDF & Email