Conceito de sustentabilidade foi distorcido, afirma leitor da Folha.com

O relatório “Nosso Futuro Comum”, de 1987, foi responsável por cunhar o conceito de desenvolvimento sustentável e trazer a sustentabilidade para o centro da agenda internacional.

Muitos dos conceitos e estratégias apontados nele têm guiado diretrizes políticas até hoje, em busca de um equilíbrio entre crescimento econômico, desenvolvimento social e proteção ao meio ambiente.

O conceito de desenvolvimento sustentável pressupõe atenção a esses três pilares, mas, nos últimos 20 anos, ele parece ter sido distorcido e frequentemente associado apenas à dimensão ambiental.

Tal visão restrita e compartimentada gera novos desafios para governos e organismos internacionais, que devem enfrentar as interdependências ecológica, econômica e social de maneira franca e direta.

Evaristo Sá – 20.jun.2012/France Presse
ORG XMIT: MMV156 Heads of state and government representatives attending the UN Conference on Sustainable Development Rio+20 pose for the family photo, in Rio de Janeiro, Brazil, on June 20, 2012. World leaders kicked off a three-day summit on environment and poverty to a warning from UN chief Ban Ki-moon that "time is not on our side" for fixing a mounting list of problems. AFP PHOTO / EVARISTO SA
Líderes e representates de Estado posam para foto na conferência Rio+20, que termina nesta sexta-feira

A Rio+20 lidou diretamente com essas questões.

Ainda existem grandes obstáculos ao processo de negociação multilateral para o desenvolvimento sustentável, que a reunião contornou.

Seus dois temas centrais, “a economia verde no contexto de desenvolvimento sustentável e erradicação da pobreza” e “o arcabouço institucional para o desenvolvimento sustentável”, buscam lidar com as lacunas deixadas pelas conferências anteriores e abarcar os novos desafios.

O Brasil se mostrou importante na resolução do documento oficial da conferência, o que nos alegra, já que necessitamos fazer algo urgentemente para que as próximas gerações não sejam afetadas.

E temos de idade, o homem é basicamente nada comparado à Terra, mas fomos nós quem quase a destruímos nos últimos dois séculos.

Fonte: Folha.com

Print Friendly, PDF & Email