Brasileiros encerram expedição científica no interior da Antártida

Imagem mostra avião que embarcou com equipe de pesquisadores do interior da Antártida. No lado esquerdo da imagem, o módulo Criosfera 1. (Foto: Divulgação/Heber Passos)

Cientistas que integram a expedição Criosfera, que teve o objetivo de instalar no interior da Antártida um módulo para monitoramento meteorológico e coleta de informações sobre a mudança do clima, encerraram oficialmente nesta segunda-feira (23) a operação no Polo Sul e devem retornar ao Brasil esta semana.

A equipe, composta por pesquisadores de sete instituições nacionais, como o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), chegou à região inóspita em dezembro passado, com o objetivo de instalar equipamentos que serão operados remotamente do Inpe, em São José dos Campos (SP).

Montado a 2.500 km de distância da Base Antártica Comandante Ferraz, mantida pela Marinha na costa da região, o Criosfera 1 verificará a quantidade de dióxido de carbono na região e medirá a presença de carbono negro, resultante da fuligem (subproduto de queimadas e uso de combustíveis fósseis).

Em parceria com institutos do Chile, os pesquisadores brasileiros também analisarão o impacto da mudança climática no Centro da Antártida.

Em entrevista ao Globo Natureza no último dia 13, o professor Jefferson Simões, cientista e explorador polar, disse que o objetivo do projeto é contribuir com pesquisas internacionais sobre o tema e reforçar a participação do Brasil no Tratado da Antártida. A equipe ficou acampada em barracas e enfrentou temperatura média de – 20 ºC, com sensação térmica de – 41 ºC.

Fonte: G1 Natureza

 

Print Friendly, PDF & Email