BP pode ter que pagar até US$ 25 bilhões por derrame, afirma analista

Mancha de óleo a poucos quilômetros do local do vazamento no Golfo do México. (Foto: Dave Martin/AP)

A petroleira britânica BP poderá ter que pagar até US$ 25 bilhões para resolver ações cíveis e criminais referentes ao vazamento de petróleo de 2010, no Golfo do México, disse na quinta-feira (19) um analista do banco de investimentos Morgan Stanley.

A nova ação judicial contra a gigante do petróleo e dos seus parceiros está prevista para 27 de fevereiro em Nova Orleans e inclui diversas ações pleiteando indenização por perdas econômicas, lesões sofridas pelos membros das equipes de socorro, violações das leis ambientais e danos dos recursos naturais, como resultado do vazamento.

Este processo, que também visa estabelecer as responsabilidades dos subempreiteiros, pode durar anos.

“O resultado do julgamento é imprevisível”, disse Martijn Rats, analista do Morgan Stanley em uma nota aos clientes do banco.

“Um acordo que inclua não só acusações cíveis contra a BP, mas também sanções penais e os danos dos recursos naturais parece improvável. Neste caso, esperamos um montante total na ordem de US$ 20 a 25 bilhões”, disse ele.

Uma explosão em abril de 2010 destruiu a plataforma Deepwater Horizon, operada pela BP, matando 11 pessoas e derramado no Golfo do México cerca de cinco milhões de barris de petróleo, gerando um efeito devastador sobre os residentes da Costa do Golfo, no ecossistema e nas indústrias do turismo e da pesca.

Fonte: G1

 

Print Friendly, PDF & Email