Após vazamento de óleo, ANP fará vistoria em plataforma da Petrobras

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) informou, no final da tarde desta terça-feira (31) que fará uma vistoria, a partir desta quarta, do navio-plataforma FPWSO Dynamic Producer, da Petrobras, onde o rompimento de um equipamento teria causado, segundo estimativa oficial da petroleira, o vazamento de cerca de 160 barris de petróleo.

“A ANP já designou uma equipe de investigação para a apuração do acidente, que está se deslocando para o local, e fará vistoria a bordo da plataforma a partir de amanhã (01/02)”. Segundo a agência, não há indicativo de que o óleo possa atingir a costa, e as ações para conter a mancha estão em andamento. 

Mais cedo, a Petrobras informou que fechou um poço após detectar, por volta das 8h30, um rompimento na coluna de produção do navio-plataforma, que está localizado na Bacia de Santos, a cerca de 300 quilômetros da costa do estado de São Paulo, na direção de Ilhabela, a uma profundidade de 2.140 metros.

De acordo com nota, o navio-plataforma produzia óleo para o Teste de Longa Duração (TLD) na área de Carioca Nordeste, no pré-sal da Bacia de Santos. Em mapa divulgado pela estatal (veja abaixo), a região do poço onde ocorreu o acidente aparece localizada a 275 km da costa paulista.

 

“Uma estimativa preliminar aponta a possibilidade de terem vazado 160 barris de petróleo. Não há possibilidade do petróleo chegar à costa brasileira”, informou a estatal em nota. Ainda de acordo com a empresa, o sistema de segurança fechou automaticamente o poço após o rompimento. “O poço encontra-se fechado e em condições seguras”.

Segundo o comunicado, as causas do acidente estão sendo investigadas e a empresa já comunicou o fato à Marinha do Brasil, ao Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) e à Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Por telefone, o G1 entrou em contato com a assessoria de imprensa da ANP, da Marinha e do Ibama e aguarda retorno.

 “O poço encontrava-se em produção com um sistema de monitoramento e registro contínuo”, informou nota.

“A Petrobras acionou imediatamente o seu Plano de Emergência. Foram mobilizados todos os recursos necessários para o recolhimento do petróleo no mar e do petróleo residual da parte superior da coluna”, informou a empresa.

Em novembro do ano passado, um incidente ocorrido durante a perfuração de um poço de petróleo pela petroleira Chevron resultou no vazamento de aproximadamente 2.400 barris de petróleo no campo de Frade, na bacia de Campos.

Fonte: G1

 

Print Friendly, PDF & Email