Alunos fazem bicicletas de bambu em centro educacional

Fazer com que cem alunos de 12 a 14 anos, que frequentam os 46 CEUs (Centro Educacional Unificado) de São Paulo, possam se deslocar à escola em comboios de bicicleta, acompanhados por monitores, até o fim de 2012, é uma das metas do projeto Escolas de Bicicletas. Detalhe: as bikes são feitas de bambu pelos próprios estudantes – um grupo de 12 jovens do CEU Jardim Paulistano, Zona Norte da capital paulista.

Segundo matéria do Estadão publicada na terça-feira, 17 de julho, com uma cola natural, feita ali mesmo, os jovens juntam os pedaços, formando quadros triangulares. Três horas de secagem e outras peças são acopladas. Rodas, câmbio, catracas, guidão e aí está: uma bicicleta novinha, para um dos 4,6 mil alunos da rede municipal ir e voltar da escola pedalando. Hoje, cerca de 500 crianças já pedalam nesse esquema.

A fábrica tem capacidade de produção de cerca de 50 bicicletas por dia e, desde o início da operação, em março, já construiu 1,5 mil. Serão 4.680 até novembro.

De acordo com o coordenador do projeto, Daniel Guth, a opção pelo bambu não é à toa. “Nossa ideia não é apenas colocar bicicletas na rua, mas também conscientizar as crianças sobre conceitos como sustentabilidade e ambientalismo. O bambu gasta muito menos energia do que o alumínio e é produzido bem perto daqui, em Bragança Paulista, o que diminui os custos com transporte. A pegada de carbono é muito pequena.”

Guth também garantiu que o material é resistente. Segundo ele, testes de resistência foram feitos a pedido da Prefeitura antes do início do projeto e cada bicicleta aguentou, em média, 1,6 tonelada antes do bambu começar a rachar. “Essas bicicletas podem durar até 20 anos”, ressaltou o designer carioca Flávio Deslandes, que concebeu a bicicleta. Ele mora na Dinamarca há mais de uma década, projeta bikes de bambu desde 1995, e desenhou o modelo do CEU especialmente para o programa municipal.

Toda a fabricação das bicicletas e dos bicicletários nos CEUs, além do treinamento dos alunos, está orçada em R$ 3,1 milhões. Os jovens recebem salário do Instituto Parada Vital, entidade contratada para o projeto.

A bicicleta é um dos veículos autorizados a circular sobre as vias urbanas e rurais pelo Código de Trânsito Brasileiro. A legislação federal diz que os ciclistas têm preferência sobre os veículos automotores e estipula dois tipos de multas diferentes para os motoristas que não respeitam a bicicleta: deixar de guardar a distância lateral de 1,5 metro ao passar ou ultrapassar bicicleta (infração média) e deixar de reduzir a velocidade do veículo de forma compatível com a segurança do trânsito ao ultrapassar ciclista (infração grave).

Essa mesma lei diz que é dever dos órgãos do Poder Executivo, incluindo os estaduais, planejar e promover o desenvolvimento da circulação e da segurança de ciclistas.

Fonte: EcoD

Alunos fazem bicicletas de bambu em centro educacional

Alunos fazem bicicletas de bambu em centro educacional

FanPage AmbientalSustentávelCurta nossa página do facebook
Print Friendly, PDF & Email